Moradores de rua de SP recebem atendimento médico neste domingo

ONG tem realizado ações quinzenais na capital paulista, no Rio de Janeiro e em mais cidades pelo Brasil. Em São Paulo, 2.000 já foram atendidos

Durante pandemia, ações já atenderam 2.000 pessoas em situação de rua em SP

Durante pandemia, ações já atenderam 2.000 pessoas em situação de rua em SP

Divulgação/ONG Médicos do Mundo

Pessoas em situação de rua em São Paulo receberão, na manhã deste domingo (31), atendimento médico da ONG Médicos do Mundo em mais uma das ações quinzenais da associação durante a pandemia do novo coronavírus.

No Pateo do Colegio, no centro histórico da capital paulista, será montada uma clínica provisória, onde pessoas de todas as idades passarão por tendas de triagem, enfermagem, curativos, coleta de exames rápidos como HIV, Sífilis e Hepatite, consultas médicas, que neste momento atuam com a Força-Tarefa COVID-19, com foco no monitoramento e identificação de possiveis infectados com encaminhamento, quando necessário, às unidades de saúde mas proximas.

Segundo Carla Strafacci, diretora de marketing e comunicação da ONG, o número de pessoas atendidas aumentou muito nas últimas semanas por conta da pandemia. Anteriormente, os atendimentos eram apenas mensais.

Strafacci conta que a periodicidade das ações aumentou, e pela pandemia, a organização tem levado um número reduzido de profissionais com este foco específico. Comumente, sem o atual cenário, participam voluntários de diversas áreas da saúde docentes e discentes (alunos). Mas, explica ela, o contexto de agora pede maior controle das ações.

Veja também: Doações são fonte de alimentos de 89% dos moradores de rua em SP

“São profissionais que estão na linha de frente dessa luta. Profissionais com experiência. Por vários motivos: pra não expor os discentes (alunos) e pela experiência dos formados para esse tipo de ação“, explica.

Ações contam com ajuda logística de motoclube paulistano

Ações contam com ajuda logística de motoclube paulistano

Divulgação/ONG Médicos do Mundo

Ao todo, nestas ações que começaram em 5 de abril, a ONG já atendeu cerca de 2.000 pessoas, tendo uma média de 500 atendidos por cada dia de ação.

Desde 2015 e sem sede fixa, a Médicos do Mundo atua somente com ajuda de voluntários – são cerca de 1.800 – e doações.

Veja também: Morador de rua empregado em abril consegue uma casa e reencontra os irmãos

A ONG também tem realizado as ações quinzenais no Rio de Janeiro e, com menor periodicidade, em cidades como Caxias do Sul (RS), Ponta Grossa (PR) e Curitiba (PR), entre outras. Para colaborar com a organização nesta ações, basta acessar este link.