São Paulo Motorista que atropelou ciclista e fugiu em SP é identificado

Motorista que atropelou ciclista e fugiu em SP é identificado

Polícia Civil localizou o carro do suspeito de ter atropelado e matado a cicloativista e pesquisadora Marina Kohler Harkot, 28 anos, no domingo (8)

  • São Paulo | Mariana Rosetti e Rafael Custódio, da Agência Record

Policiais do 14º DP de SP identificam motorista acusado de atropelamento

Policiais do 14º DP de SP identificam motorista acusado de atropelamento

Reprodução/ Google Maps

O motorista acusado de atropelar e fugir sem prestar socorro à cicloativista Marina Kohler Harkot, 28 anos, foi identificado na manhã desta terça-feira (9). A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). No momento, diligências ocorrem para localizá-lo.

O caso é investigado no 14º DP (Pinheiros). A Polícia Civil de São Paulo localizou o carro do suspeito de ter atropelado e matado a cicloativista Marina Kohler Harkot, 28 anos, no último domingo (8).

O veículo é modelo Hyundai Tucson prata, do ano de 2008 com placa do município de Inconfidentes, em Minas Gerais, que fica há mais de 500 quilômetros de Belo Horizonte. Ele foi encontrado na região do centro de São Paulo durante o início da madrugada desta terça-feira (10).

O carro foi encontrado abandonado e o investigador de plantão do 14º DP de Pinheiros se recusou a passar informações por telefone.

O caso

A cicloativista e pesquisadora Marina Kohler Harkot, 28 anos, morreu após ser atropelada enquanto pedalava sua bicicleta, às 0h17, deste domingo (8), na avenida Paulo VI, em Pinheiros, zona oeste da capital. O motorista fugiu do local e a Polícia Civil investiga o caso.

Policiais militares foram chamados para atender ocorrência de acidente de trânsito. No local, o SAMU realizava atendimento à vítima, mas ela não resistiu aos ferimentos. Uma policial militar de folga estava pelo local e presenciou o atropelamento. Ela conseguiu anotar a placa do carro, um Hyndai Tucson, na cor prata, e prestou os primeiros atendimentos à vítima.

Os PMs constaram pelo sistema Detecta que o automóvel passou por diversas vias próximas ao acidente momentos antes.
A autoridade de plantão compareceu ao local e verificou que a velocidade da via é de 50km/h e possui quatro faixas. A vítima estava na última, próximo ao parapeito.

O companheiro da estudante contou que ela era ciclista há muitos anos e utilizava a bicicleta como meio de transporte. O delegado conseguiu contato com Luis Felipe Rivelli Pereira Lopes, que constava como proprietário do veículo. Ele afirmou que vendeu o automóvel em 2017 e se comprometeu de apresentar o documento de transferência.

A Polícia Civil busca identificar o condutor do veículo. Foi solicitada perícia ao local e carro de cadáver.

O caso foi registrado e é investigado no 14º DP (Pinheiros) como homicídio culposo na direção de veículo automotor e fuga de local de acidente. 

Últimas