Novo Coronavírus

São Paulo MP apura se houve irregularidade em repasse ao Carnaval de SP

MP apura se houve irregularidade em repasse ao Carnaval de SP

Mesmo com evento cancelado em 2021, prefeitura destinou R$ 33 milhões a escolas de samba e agremiações

MP apura se houve irregularidade em repasse de R$ 33 milhões ao Carnaval de SP

MP apura se houve irregularidade em repasse de R$ 33 milhões ao Carnaval de SP

Divulgação / SPTuris

O Ministério Público de São Paulo instaurou um procedimento para apurar eventuais irregularidades no repasse de R$ 33 milhões feito pela prefeitura para escolas de samba e agremiações, mesmo após o cancelamento das festividades do Carnaval 2021.

O procedimento, instaurado na segunda-feira (22), foi distribuído para a promotora de Justiça Karyna Mori e está na fase inicial, por isso não virou inquérito ainda.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, os desfiles carnvalescos foram suspensos. Inicialmente, a prefeitura havia dito à Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo que o evento deveria ocorrer em 9 e 10 de julho, mas com o agravamento dos casos de covid-19 e a ausência de uma data para a imunização de grande parte da população, o Carnaval foi cancelado em anúncio feito no último dia 12.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo informou que "o contrato firmado com a SPTuris, ainda em 2020, é de R$ 33 milhões e neste momento estão sendo estudadas alternativas para aplicação nos desfiles de 2022".

No sábado (13), foi publicada no Diário Oficial da Cidade de São Paulo a ordem de pagamento de mais de R$ 20,4 milhões referente à contratação de serviços de apoio institucional ao Carnaval Paulistano 2021 com apresentações de espetáculos artísticos e culturais por agremiações, escolas, blocos e cordões carnavalescos.

"Autorizo a emissão de Nota de Reserva com Transferência de Recursos para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, no valor de R$ 20.479.475,00 para as despesas referentes a 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª parcelas do Carnaval, em favor da empresa São Paulo Turismo", segundo o Diário Oficial.

Apesar da diminuição do ritmo de produção nos barracões das escolas, os trabalhos continuam, segunda a Liga SP. São 14 escolas no Grupo Especial, 8 no Acesso I e outras 12 no Acesso II, que deveriam ter desfilado no Sambódromo do Anhembi neste mês.  

Últimas