São Paulo MP-SP denuncia três PMs filmados executando homem na zona sul

MP-SP denuncia três PMs filmados executando homem na zona sul

Caso ocorreu em julho passado. Vítima, o engenheiro civil Vinícius Texucla de Oliveira, foi atingido por dois disparos

  • São Paulo | Isabelle Gandolphi, da Agência Record

Engenheiro é morto por policiais no Grajaú (SP)

Engenheiro é morto por policiais no Grajaú (SP)

Reprodução/Record TV

O Ministério Público de São Paulo denunciou, nesta sexta-feira (06), três policiais militares envolvidos em uma ocorrência em julho, no Grajaú, na zona sul de São Paulo. Os agentes foram flagrados em imagens de câmeras de segurança abordando um homem, que foi executado no momento em que desceu do carro.

O caso ocorreu às 2h03 do dia 11 do mês passado. A vítima, o engenheiro civil Vinícius Texucla de Oliveira, foi atingido por dois disparos. A defesa dos agentes afirma que o homem também estava armado.

Segundo o Promotor de Justiça Alexandre Cid de Andrade, a investigação apurou que a morte teria ocorrido por motivo torpe, decorrente de desentendimento anterior entre os policiais e a vítima.

Os policiais identificados como Cristiano Procópio Magalhães, Dimas dos Santos Silva e Alex Borges dos Santos estão presos temporariamente a pedido da Corregedoria da Polícia Militar. O MP-SP também pede, no documento, que a prisão seja convertida em preventiva.

Agora, caberá ao juiz responsável pelo caso no 3º Tribunal do Júri de São Paulo decidir se eles serão ou não levados a júri popular.

Por meio de nota, a defesa dos pms nformou que "recebe com serenidade e discorda veementemente" da denúncia apresentada pelo MP e afirma que "irá demonstrar a legitimidade da ação policial na fase processual".

A defesa dos policiais militares, representada pelos advogados Renato Soares do Nascimento, Mauro Ribas e Gilberto Quintanilha, se manifestou por meio de nota. "Em relação a denúncia ofertada pelo Ministério Público, a defesa recebe com serenidade e discorda veementemente, e afirma que irá demonstrar a legitimidade da ação polícial na fase processual", afirmou. 

"Temos provas que o indivíduo que aparece nas imagens estava armado e tentou contra a vida dos policiais que revidaram a injusta agressão, inclusive  o mesmo já tem registro na justiça por crime de roubo, outro fato absurdo descrito na denúncia foi um suposto desentendimento entre os polícias o que consideramos um devaneio por parte da acusação."

Últimas