MP-SP investiga adoções ilegais de crianças pelo Facebook

Autoridades receberam denúncias sobre perfis dedicados a aproximar mães que querem “doar” seus filhos e interessadas em recebê-los

Grupos conectam mães biológicas e pessoas procurando adotar crianças

Grupos conectam mães biológicas e pessoas procurando adotar crianças

Pixabay

Um inquérito para investigar a possível prática irregular de "oferta" de crianças para adoção através do Faceboook foi instaurado pela Promotoria de Justiça da Infância e Juventude, do MP-SP (Ministério Público de São Paulo).

Leia também: PF faz operação contra pedofilia na internet e estupro de vulnerável

A investigação começou após o recebimento de denúncias sobre perfis na rede social dedicados a aproximar mulheres que querem “doar” seus filhos e outras interessadas em recebê-los, burlando o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Um dos grupos no Facebook é intitulado “Bio e adotantes apenas de São Paulo”, e tem cerca de 740 participantes. De acordo com as autoridades, a página parece ter como finalidade a aproximação entre mães biológica e aqueles que querem adotar, resultando em adoção irregular de crianças.

Leia também: Em pandemia, crianças ficam em casa e esvaziam PS infantil de SP

A promotoria também descobriu a página “Quero doar o meu bebê”, também no Facebook, com quase três mil seguidores. Um casal relatou que, por meio dessa, chegou a uma mulher grávida interessada em entregar a criança que esperava. Ainda de acordo com o casal, a página apresenta diversas “histórias de mulheres que buscavam doar seus bebês (...)”.

Entre outras providências, a promotoria requisitou que o Facebook analise o conteúdo postado nas duas páginas, removendo as contas caso sejam constatadas irregularidades e encaminhando dados sobre os administradores das contas.