MP-SP recomenda aumento de refeições servidas no Bom Prato

Promotoria quer pronta substituição de trabalhadores caso apresentem sintomas respiratórios e cobra embalagens descartáveis para refeições

Moradores de rua sofrem com falta de comida durante a quarentena

Moradores de rua sofrem com falta de comida durante a quarentena

Marcos Vidal/ Futura Press/ Estadão Conteúdo - 17.03.2020

A Promotoria de Justiça de Direitos Humanos de São Paulo recomendou, nesta sexta-feira (27) ao governo de São Paulo aumentar o número de refeições servidas por dia nos restaurantes da rede Bom Prato.

Leia mais: MP cobra prefeitura de SP plano para conter coronavírus em favelas

O programa, que conta com 58 unidades, sendo 22 na capital, 11 na Grande São Paulo, 8 no litoral e 17 no interior, oferece café da manhã e almoço a R$ 0,50 e R$ 1, respectivamente.

O documento pede ainda a adoção de medidas administrativas que possibilitem às parceiras a rápida e pronta substituição dos trabalhadores da rede que eventualmente apresentem sintomas respiratórios, assim como de providências visando à fiscalização de medidas profiláticas recomendadas pelas autoridades sanitárias para preservação da saúde dos servidores que exerçam suas funções na prestação desse serviço.

Leia mais: Governo anuncia repasse de R$ 218 milhões a 80 municípios de SP

A promotoria afirmou que quer saber também quando serão disponibilizadas as refeições em embalagens descartáveis, conforme foi divulgado pelo governo do Estado , e se isso ocorrerá em todas as unidades existentes.