Mulher é presa por organizar invasão de condomínio em SP

Segundo a SSP-SP, a suspeita detida neste domingo (3) também teria negociado unidades dos conjuntos habitacionais na Vila Curuçá, na zona leste

Viaturas da GCM cercam os arredores do condomínio para evitar novas invasões

Viaturas da GCM cercam os arredores do condomínio para evitar novas invasões

Reprodução

Uma mulher foi detida neste domingo (3) por organizar a invasão e negociar imóveis nos conjuntos habitacionais localizados na Rua Osório Franco Vilhena, 534, na Vila Curuçá, zona leste de São Paulo. A ocorrência foi registrada no 50º DP (Itaim Paulista) e é investigada pelo 67º DP (Jardim Robru).

Leia também: Agências da Caixa abrirão mais cedo a partir desta segunda-feira (4)

A invasão do condomínio - que possui 965 unidades distribuídas em oito torres, dentro de um terreno de 10 mil metros quadrados -, teve início na noite de sábado (2) e foi realizada por habitantes de uma comunidade que fica ao lado dos prédios que fazem parte do programa "Minha Casa Minha Vida" e atendem inscritos em listas da prefeitura paulistana e do Estado de São Paulo.

Quando souberam da invasão, muitos proprietários foram para a porta dos conjuntos residenciais e entraram em desespero. As pessoas ainda aguardavam por vistorias necessárias para receberem as chaves. Após o arrombamento de diversas unidades, a data para a entrega dos imóveis foi adiada.

Os moradores ficaram revoltados com a situação e enviaram vídeos à Record TV para denunciar a invasão. Em uma dessas gravações, as imagens mostram diversas pessoas correndo para ocupar os apartamentos durante a noite passada.

A GCM (Guarda Civil Metropolitana) e a Polícia Militar tentaram negociar a evacuação, mas não houve acordo. Na tarde deste domingo, ocorreu um novo tumulto quando alguns invadores atearam fogo em pneus na entrada do condomínio.

Autoridades se pronunciam


De acordo com a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), a Polícia Militar que prestou apoio a equipes da GCM e da Prefeitura de São Paulo durante reintegração de posse em prédios de um conjunto habitacional, localizado na Vila Curuçá, na tarde deste domingo (3). 

O local havia sido invadido na noite de sábado (2), quando a PM foi chamada e apreendeu um revólver calibre 32. Já na tarde de hoje (domingo), policiais do 4º Baep (Batalhão de Ação Especial da Polícia Militar) e do 48º BPM/M (Batalhão de Polícia Militar Metropolitano) atuaram no controle de tumulto na área externa. Até o momento, não há informações sobre feridos.

Prefeitura detalha empreendimento

já a Prefeitura de São Paulo informa que, após os invasores dos conjuntos habitacionais Osório não aceitarem acordo para saída voluntária dos prédios, houve a retirada do grupo em ação da Guarda Civil Metropolitana com apoio Polícia Militar.

Desde a manhã deste domingo, integrantes da Secretaria Municipal de Habitação e da Cohab-SP ofereceram inscrição em programas habitacionais e, para quem já estava na fila, a atualização dos dados. Os conjuntos habitacionais, divididos em quatro condomínios, vão beneficiar 965 famílias que aguardavam pela casa própria. A Sehab permanece à disposição das famílias invasoras para inscrevê-los nos programas habitacionais.

Cerca de mil pessoas teriam participado da invasão, calculam a GCM e a PM

Cerca de mil pessoas teriam participado da invasão, calculam a GCM e a PM

Reprodução

O empreendimento está em fase de finalização. As 965 unidades habitacionais foram construídas em área de 10 mil metros quadrados. Para os dias 6 e 7 de maio, estão agendadas as assembleias para instalação dos condomínios.

Estão previstas para o período de 13 de maio a 5 de junho as assinaturas de contratos junto à Caixa com a demanda aprovada das 365 unidades dos condomínios C e D. As 600 restantes (A e B) estão em fase final de regularização das documentações.

As famílias indicadas para estas moradias são demandas 50% Cohab-SP e 50% da Sehab. As indicadas pela Cohab-SP se cadastraram pelo site e aguardavam atendimento habitacional. Já as famílias indicadas pela Sehab foram removidas de áreas de risco ou por obras de intervenção e que hoje recebem auxilio aluguel.

Pela Cohab-SP, 198 famílias foram contempladas após mais de nove anos na fila, sendo duas delas há mais de duas décadas. Atualmente, há 205.789 famílias inscritas com cadastro ativo na Cohab.

A Prefeitura de São Paulo entregou 9.678 unidades habitacionais desde janeiro de 2017. Até o final da gestão, serão entregues, ao todo, 25 mil unidades habitacionais.