São Paulo Mulher morre em hospital após ser baleada pelo ex em Arujá (SP)

Mulher morre em hospital após ser baleada pelo ex em Arujá (SP)

Família não divulgou estado de saúde da filha dela, que também foi alvejada. Vítima já havia registrados dois B.O.s contra o homem

  • São Paulo | Mariana Rosetti, da Agência Record

Mãe e filha foram baleadas na rua José Cícero Soares, em Arujá (SP)

Mãe e filha foram baleadas na rua José Cícero Soares, em Arujá (SP)

Google Street View - 12.05.2021

A mulher baleada ontem pelo ex-companheiro em Arujá, na região metropolitana de São Paulo, não resistiu aos ferimentos e faleceu nesta quinta-feira (13), no Hospital das Clínicas, em São Paulo.

A informação foi confirmada pela Delegacia de Defesa da Mulher de Arujá.

O estado de saúde da filha dela, que também foi alvejada pelo homem, não foi divulgado pela família. Ela está no Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes (SP).

A mulher já havia registrado dois boletins de ocorrência de agressão contra o autor dos disparos, que foi preso nesta quarta.

O caso

Um homem foi preso após atirar contra a ex-companheira e a filha dela, de 13 anos, em Arujá (SP), por volta das 9h desta quarta-feira (12). Ele tentou fugir, mas acabou capturado pela polícia na cidade de Ribeirão Preto, no interior do estado.  

O suspeito invadiu a casa da ex-companheira e atirou nela. Ele não aceitava o fim do relacionamento.

A garota, ao tentar defender a mãe, foi baleada no ombro, segundo a Polícia Civil. A polícia foi acionada para uma ocorrência de disparo de arma de fogo no bairro Parque Rodrigo Barreto. No local, os policiais encontraram as vítimas feridas.

A mulher foi socorrida pelo helicóptero Águia da Polícia Militar até o Hospital das Clínicas, em São Paulo, onde faleceu nesta quinta-feira. A adolescente foi levada ao Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes.

Ainda segundo a Polícia Civil, o suspeito foi preso em flagrante por porte ilegal de arma e confessou o crime. A prisão preventiva dele por tentativa de feminicídio foi solicitada. Com o suspeito, foi apreendida uma arma usada no crime e as munições deflagradas.

Inicialmente, o caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher de Arujá como tentativa de feminicídio e violência doméstica.

Últimas