Novo Coronavírus

São Paulo Na cidade de SP, 16% da população já foi infectada pelo coronavírus

Na cidade de SP, 16% da população já foi infectada pelo coronavírus

Terceira fase do inquérito sorológico aponta aumento de pessoas assintomáticas, passando de 38 para 43% dos moradores 

Na cidade de SP, 16% da população já foi infectada pelo novo coronavírus

Na cidade de SP, 16% da população já foi infectada pelo novo coronavírus

Luis Ángel González / EFE - 15.1.2021

O número de pessoas que já foram infectadas pelo novo coronavírus cresceu na cidade de São Paulo, de acordo com os resultados da terceira fase do inquérito sorológico 2021, realizado com moradores da capital entre os dias 2 e 4 de fevereiro. O mapeamento indica prevalência da infecção de 16%, contra 13,9% na segunda fase e 14,1% na primeira. O índice de confiança é de 95%.

“Os dados mostram uma evolução da pandemia na cidade, com um aumento significativo em relação ao número de pessoas que já tiveram covid-19, o que mostra uma necessidade dos cuidados redobrados com relação à pandemia, como evitar aglomeração, utilizar álcool em gel e máscara. As orientações permanecem as mesmas”, afirmou o prefeito Bruno Covas em coletiva nesta quinta-feira (25).

O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, destacou o aumento do número de assintomáticos na população. Das 1.745 amostras, 281 tiveram resultado positivo. Entre elas, 43% estavam assintomáticos, contra 38,3% na fase passada. "Por isso é importante o uso de máscaras. Se não, o aumento da transmissibilidade se acentua", explicou.

Em relação às regiões da capital, o maior índice de prevalência foi registrado na zona leste, com 22,9%. A norte teve de 12,3%, sudeste 11,8%, centro-oeste 13,2%, e na sul o índice foi de 17,4%.

“Os números mostram que é preciso manter as medidas de distanciamento social em todas as regiões da cidade. Estamos atravessando um momento em que os números de infecção estão altos e é preciso evitar deslocamentos desnecessários”, ressaltou o secretário de Saúde.

Outros dados

O inquérito sorológico analisou também a prevalência de anticorpos em regiões de acordo com o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). A conclusão foi de que onde o IDH é alto a contaminação é menor: 10,5%. Já em locais de IDH médio, a prevalência é de 16% e em áreas com IDH baixo, de 20,5%.

O estudo evidenciou ainda o relaxamento das medidas de distanciamento, já que 35,9% do total frequentam locais não essenciais, como restaurantes, cafés, bares, hotéis, academia, em relação aos que não frequentam (15,1%).

Para a quarta fase, a Prefeitura de São Paulo adquiriu mais um tipo de teste sorológico, chamado Elisa, que é imunoenzimático. A nova etapa será realizada com o uso de dois tipos de testes.

Segundo o secretário Edson Aparecido, os casos de Síndrome Gripal aumentaram a partir de janeiro e há um alerta para as hospitalizações no pós-Carnaval e com a circulação das novas variantes do vírus.

A incidência da covid-19 é dez vezes maior na população acima de 75 anos, com maior risco de internações e óbito. Mas houve o crescimento da doença entre pessoas de 20 a 45 anos.

Últimas