"Não é marolinha, é pandemia", diz Covas sobre coronavírus

Prefeito de SP destacou que 2.000 leitos para casos de baixa complexidade estão sendo montados, mas não descarta buscar outros locais

Duzentos leitos são instalados no Pacaembu para pacientes com coronavírus

Duzentos leitos são instalados no Pacaembu para pacientes com coronavírus

Reprodução / Record TV

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou nesta segunda-feira (23) em entrevista à Record TV que as pessoas precisam se convencer da gravidade da pandemia de coronavírus. "É importante que as pessoas percebam que não é marolinha, é uma questão grave, é pandemia. Quanto mais as pessoas puderem ficar em casa é um ato de humanidade e respeito ao próximo", ressaltou.

O prefeito fez uma visita ao hospital de campanha que está sendo montado no estádio do Pacaembu, na zona oeste de São Paulo, na manhã desta segunda. A previsão era de que os trabalhos durassem 10 dias, mas, segundo Covas, as obras foram aceleradas para que o local esteja pronto nesta sexta-feira (27). "A ideia é que ele esteja em funcionamento já na terça-feira (31)", explicou.

No Pacaembu serão 200 leitos de baixa complexidade para pacientes não graves. Outros 1.800 são montados no Anhembi. O prefeito, no entanto, não descarta a possibilidade de ter de disponibilizar mais endereços: "Estamos olhando locais para adaptação. Já temos 2.000 novos leitos garantidos. Vamos buscar parcerias em outros espaços da cidade".

A medida terá investimentos de cerca de R$ 35 milhões da administração municipal. As vagas nesses locais serão reguladas e disponibilizadas para pessoas que estão sendo atendidas em UBSs e em hospitais. 

O prefeito prometeu: “Temos 1.250 respiradores na cidade. A capital terá 490 novos leitos de cuidados intensivos. Os 20 primeiros foram entregues na sexta-feira (20) no hospital de Parelheiros".

A partir desta terça (24), bares, lanchonetes e restaurantes só poderão funcionar por delivery ou drive thru. Até mesmo em padarias o consumo de alimentos não será permitido durante a quarentena.

Parques estão fechados assim como shoppings, equipamentos de cultura, comércio e locais de eventos. Para a população em situação de rua, cinco novos abrigos emergenciais estão sendo adaptados, segundo a prefeitura.

São Paulo é o estado do país com o maior número de casos e de mortes por coronavírus: 631 confirmações e 22 óbitos até o momento.