São Paulo Nível do Sistema Cantareira cai para 12,2% da capacidade

Nível do Sistema Cantareira cai para 12,2% da capacidade

Medidas emergenciais adotadas pela Sabesp não impedem sucessivos recordes negativos

  • São Paulo | Do R7, com Estadão Conteúdo

Nível de água da represa Jaguari, na cidade de Vargem, no interior de SP, está cada vez mais baixo

Nível de água da represa Jaguari, na cidade de Vargem, no interior de SP, está cada vez mais baixo

Denny Cesare/10.04.2014/Código19/Estadão Conteúdo

Apesar da série de medidas emergenciais adotadas pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), entre elas a ampliação do programa de bônus para redução do consumo de água para toda a região metropolitana, o nível dos reservatórios do Sistema Cantareira continua registrando sucessivos recordes negativos de capacidade. Nesta sexta-feira (11), o índice que mede o volume de água armazenada nas reservas caiu 0,2 ponto porcentual, para 12,2%, de acordo com dados divulgados pela concessionária. Há um ano, o nível era de 63,1%.

Desde o primeiro alerta público da Sabesp para os baixos níveis dos reservatórios, em janeiro, o Cantareira já secou mais de 15 pontos percentuais. A situação das duas principais reservas do sistema, que juntas correspondem a 82% do volume armazenado no Cantareira, é ainda mais crítica. Segundo dados do relatório diário do comitê anticrise, os reservatórios Jaguari e Jacareí contam com apenas 4,9% da sua capacidade total.

Nesta quarta (9), pela primeira vez desde o início da crise hídrica, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que a hipótese de um racionamento de água na Grande São Paulo não está totalmente descartada. O novo secretário de Saneamento e Recursos Hídricos de São Paulo, Mauro Arce, também reforçou a mudança de discurso do governo paulista, acionista majoritário da concessionária.

Mesmo com crise, Sabesp diz que SP tem abastecimento de água garantido até o final do ano

População de SP teve que racionar água pelo menos três vezes nos últimos 15 anos

Ainda em janeiro, em entrevista à reportagem, o diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, havia confirmado a possibilidade da concessionária adotar um esquema de rodízio de água devido aos baixos níveis do Cantareira.

— Se não chover dentro da média nos próximos meses, a Sabesp terá que adotar medidas mais drásticas.

Questionado sobre a possibilidade de racionamento de água, o diretor chegou a confirmar que o risco "sim, existe".

Crise de abastecimento muda distribuição de água na Grande SP; veja como ela chega até sua casa

Últimas