Coronavírus

São Paulo Número de mortes pelo novo coronavírus passa de 10 mil em SP

Número de mortes pelo novo coronavírus passa de 10 mil em SP

Segundo Secretaria de Saúde, estado tem 162.520 casos confirmados de covid-19. Nas últimas 24 horas, foram 283 óbitos pela doença

Agência Estado
Número de mortes por covid-19 passa de 10 mil no estado de SP

Número de mortes por covid-19 passa de 10 mil no estado de SP

TARSO SARRAF/ESTADÃO CONTEÚDO

São Paulo ultrapassou nesta quinta-feira (11) a marca de 10 mil mortos pelo novo coronavírus. De acordo com balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde, São Paulo tem 10.145 mortos e 162.520 casos confirmados da doença. No balanço das últimas 24 horas, foram 283 novos óbitos e 6.204 novos casos confirmados.

Leia mais: SP começa a testar vacina contra coronavírus em humanos em julho

Uma projeção feita na quarta-feira pelo próprio governo estima que esse número de mortes possa mais que dobrar e chegar a 22 mil até o final de junho. A projeção também aponta que o Estado pode ter, até o fim deste mês, entre 190 mil e 265 mil casos confirmados da doença. Esse cenário de números é feito com base em uma taxa de isolamento social de 50%. Mas a taxa vem ficando abaixo desse patamar no Estado. Na quarta, a capital paulista registrou 48% de isolamento e Estado esteve com a taxa de 46%. Em números absolutos, São Paulo é o Estado com maior quantidade de mortes e casos confirmados no País.

Na quarta (10), o governo prorrogou a quarentena no Estado até o dia 28 de junho. O novo modelo de quarentena prevê a reabertura econômica, ainda que com restrição, em diversas regiões do Estado. O Plano São Paulo classificou as regiões administrativas do Estado segundo cores entre vermelho, laranja, amarelo e verde em que a primeira indica restrição total e a última, uma abertura quase que total da economia, de acordo com evolução da doença e a capacidade de resposta do Sistema Único de Saúde (SUS).

Veja também: Isolamento em São Paulo fica em 48% após reabertura do comércio

Pela atualização do plano divulgada na quarta, e que passa a valer na segunda-feira (15), as cidades das regiões de Barretos, Ribeirão Preto e Presidente Prudente, no interior do Estado de São Paulo, terão de adotar regras mais rígidas por causa do aumento de casos de coronavírus. Essas regiões saíram da zona "amarela" e migram para a zona "vermelha" do Plano São Paulo.

Já as regiões da Grande São Paulo, da Baixada Santista e de Registro (no Vale do Ribeira), que concentram 26% da população do Estado, migraram da classificação "vermelha" para a "laranja" após redução do número de novos casos e aumento do número de leitos de internação. De acordo com o boletim desta quinta, a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 77% na Grande São Paulo e de 69,4% no Estado.

Últimas