grevecaminhoes
São Paulo Oleodutos garantem combustível em aeroportos do Rio e SP

Oleodutos garantem combustível em aeroportos do Rio e SP

Aeroportos de Guarulhos (SP) e Galeão (RJ) são atendidos por uma rede de oleodutos que asseguram o fornecimento de combustível de aviação

Oleodutos são utilizados para o fornecimento de combustível nos dois maiores aeroporto do país

Oleodutos são utilizados para o fornecimento de combustível nos dois maiores aeroporto do país

Divulgação/Petrobras

Uma rede de oleodutos da Transpetro, empresa subsidiaria da Petrobras, é o que assegura o abastecimento de aeronaves em dois dos maiores aeroporto brasileiros, que em meio ao protesto de caminhoneiros teve o fornecimento de combustível de aviação prejudicados. Ao menos 11 aeroportos pelo Brasil já sofrem com a falta de combustível causando atrasos e cancelamentos de dezenas de voos.

No Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), o maior do país com uma movimentação de 24 mil aeronaves e mais de 3 milhões de passageiros por mês, a distribuição do combustível para os aviões é assegurada por dois dois oleodutos capazes de fornecer cerca de 9 milhões de litros de combustível de aviação por dia — cerca de 9,5 mil m3 de combustível.

O primeiro oleoduto que atende Guarulhos entrou em operação em 1985, tem 8 km de extensão e capacidade de vazão de 73 mil m3 de Querosene de Aviação (QAV) por mês. O segundo oleoduto entrou em operação em 1996, também possui 8 km de extensão, mas com uma vazão maior, capaz de fluir 214 mil m3 de combustível por mês. Ambos os oleodutos interligam o terminal de combustíveis do aeroporto até a refinaria da Petrobrás em Maúa, na grande São Paulo.

Para fins de comparação, o fornecimento diário no aeroporto de Guarulhos pode abastecer 346 aviões Boeing 737, uma das aeronaves comerciais de grande porte mais populares no país e que, com os tanques completamente cheios, tem capacidade para aproximadamente 26 mil litros de querosene de aviação.

Já o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, o segundo maior do país, com uma movimentação de mais de 9 mil aeronaves e 1,2 milhões de passageiros,  também é atendido por um oleoduto de 11 km que interliga o aeroporto até a Refinaria de Duque de Caxias, na cidade de mesmo nome na região metropolitana do Rio.

Os dutos que atendem o aeroporto do Galeão entraram em operação em 1977 e possuem capacidade de 214 mil m3 por mês — o suficiente para fornecer 7 milhões de litros de combustível de aviação por mês.