Meio Ambiente

São Paulo Operação mira terrenos irregulares em áreas de mananciais de SP

Operação mira terrenos irregulares em áreas de mananciais de SP

Ação quer identificar, autuar e aplicar a pena a construções irregulares dentro de áreas das represas Guarapiranga e Billings

  • São Paulo | Edilson Muniz e Juliana Beker, da Agência Record

Operação mira terrenos irregulares em áreas de mananciais em São Paulo

Operação mira terrenos irregulares em áreas de mananciais em São Paulo

Divulgação Polícia Militar

Um operação contra terrenos irregulares instalados em área de proteção e recuperação manancial ocorre na manhã desta terça-feira (17). De acordo com a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), existem 40 construções irregulares no local.

De acordo com a pasta, a área foi autuada e embargada. Caso o embargo seja desrespeitado, as multas serão aplicadas diariamente. Novos autos serão emitidos a cada construção irregular.

A operação é realizada na região do M'Boi Mirim, na zona sul da cidade pela Secretaria da Segurança Pública, por intermédio da Polícia Militar Ambiental, Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), Prefeitura da Cidade de São Paulo, SABESP, ENEEL, CETESB, por meio de um convênio firmado entre Estado e Prefeitura pela Defesa das Águas em Áreas de Proteção e Recuperação de Mananciais.

A operação contra loteamentos irregulares situados em áreas de mananciais ocorre às margens da Represa Guarapiranga, cujo manancial é responsável pelo abastecimento de água à zona sul da cidade e parte da região metropolitana de São Paulo.

Com um contingente integrado de Policiais Militares, agentes da Coordenadoria de Fiscalização e Biodiversidade do Estado de São Paulo, da CETESB, da Subprefeitura de M'Boi Mirim, da Secretaria Municipal Executiva de Mudanças Climáticas, da Guarda Civil Metropolitana, da SABESP e da ENEEL utilizam viaturas e drones.

A operação tem o objetivo de identificar, autuar e aplicar a pena às construções irregulares localizadas na Área de Proteção e Recuperação dos Mananciais das Represas Guarapiranga e Billings. Segundo os órgãos, os mananciais são de relevância ambiental vital aos seres humanos e à biodiversidade, considerando que cerca de quatro milhões de pessoas dependem do abastecimento de água potável nessa região.

As áreas de mananciais são vulneráveis e vêm sofrendo ocupações e expansões irregulares, pelo que é imperioso reconhecer a importância de sua preservação, garantindo assim a quantidade e qualidade da água que abastece a população e as gerações futuras.

Áreas de desmatamentos, implantação de loteamentos e construções irregulares, ligações clandestinas de água e dr energia elétrica serão alvo das ações da OIDA, agora e no futuro.

Destarte, tais medidas e ações de fiscalização, prevenção e monitoramento ambiental, terão continuidade por intermédio de atividades de inteligência e do policiamento ostensivo, além da educação ambiental, através de orientação à população quanto à legislação vigente, normalmente vítimas de grupos organizados para cometerem, dolosamente, crimes contra o meio ambiente

Últimas