Novo Coronavírus

São Paulo Operação na Cracolândia pretende remover usuários de drogas em SP

Operação na Cracolândia pretende remover usuários de drogas em SP

Serviço do Atende 2 foi encerrado e ônibus vão poder levar os dependentes químicos para outro endereço. Policiamento foi reforçado na área

  • São Paulo | Edilson Muniz, da Agência Record

Operação pretende tirar usuários de drogas da região da Cracolândia

Operação pretende tirar usuários de drogas da região da Cracolândia

Reprodução / Record TV

Policiais militares e agentes da GCM (Guarda Civil Metropolitana) estão se reunindo na base próxima à praça Princesa Isabel, no centro histórico de São Paulo, para realizar a ação de fechamento da unidade 2 do Atende (Atendimento Diário Emergencial).

Agentes do 7° Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP) estão no local e se preparam para dar início à ação na manhã desta quarta-feira (8). O efetivo de policiais militares é de cerca de 250 agentes.

Leia mais: Hospital no Complexo do Ibirapuera começa a funcionar em 1º de maio

A Prefeitura de São Paulo pretende fechar o equipamento que oferece assistência aos dependentes químicos que vivem na Cracolândia e encaminhar os usuários a uma outra unidade do serviço, na região do Glicério.

Os usuários de drogas que aceitarem a transferência serão levados de ônibus para o novo endereço. A ação não é compulsória.

A Defensoria Pública ajuizou uma Ação Civil Pública para tentar impedir o fechamento da unidade, principalmente neste momento em que as forças públicas tentam evitar o avanço do novo coronavírus.

De acordo a prefeitura, as unidades do Atendimento Diário Emergencial (ATENDE) fazem parte do Programa Redenção, instituído pelo órgão municipal em 2017, na gestão do então prefeito João Doria.

A unidade do ATENDE 2 tem 300 vagas e é a maior entre as três unidades restantes, com mais do que o dobro de vagas ofertadas.

Veja também: Governo distribuirá um milhão de cestas básicas para 4 milhões em SP

Em nota, movimentos que atuam na região da Cracolândia informaram que "o último serviço de atendimento para a população em situação de rua da Cracolândia está sendo fechado. Centenas de pessoas serão abandonadas justo no auge da pandemia de coronavírus na cidade".

Segundo informações, o Atende 2 tem diversos problemas, mas ainda é "o local que oferece alimentação, lugar para dormir e torneiras (quando não estão quebradas ou sem água)". 

Outro lado

Em nota, a Prefeitura de São Paulo informou que vai abrir hoje (8) o Serviço Integrado de Acolhida Terapêutica (SIAT) II – Glicério para "melhorar o atendimento no acolhimento e no tratamento da saúde de usuários de álcool e drogas em situação de vulnerabilidade". Os dependentes que estavam no ATENDE 2, na rua Helvétia, vão ter atendimento prioritário no novo equipamento, garantiu a prefeitura.

A unidade terá um Centro de Acolhida 24h. Serão 200 vagas, sendo 100 para atendimento diurno e 100 para pernoite, destinadas a homens, mulheres e transexuais em situação de rua e dependência química.

Leia também: Frota de ônibus em circulação em SP chega a 53% após reclamações

Localizado na avenida Prefeito Passos, 25, região do Glicério, o equipamento vai oferecer à população acesso à alimentação (café, almoço, jantar), higiene pessoal, bagageiro, atendimento técnico e atividades socioeducativas, segundo a prefeitura.

O espaço terá "oficinas de artesanato, leitura, ioga e exercícios físicos e uma unidade de saúde com uma equipe composta por assistentes técnicos e sociais, psicólogos, pedagogos, orientadores socioeducativos e agentes operacionais".

As vagas serão preenchidas a partir de demanda espontânea e de encaminhamentos dos serviços referenciados. 

Últimas