São Paulo Pâmela Pantera é procurada em SP por suspeita de tráfico de drogas

Pâmela Pantera é procurada em SP por suspeita de tráfico de drogas

Modelo de 22 anos já foi capa de revista masculina e é apontada como chefe de grupo de garotas de programa que vendia drogas para clientes em Brasília

  • São Paulo | Maurílio Goeldner, da Record TV

Pâmela Pantera é o nome usado pela modelo Flávia Tamayo

Pâmela Pantera é o nome usado pela modelo Flávia Tamayo

Reprodução/Record TV

A Polícia Civil procura a modelo Flávia Tamayo, que ficou conhecida no meio artístico como Pâmela Pantera. Ela já foi capa da revista Playboy. Ela fez fama depois de participar do concurso Miss Bumbum em 2018, quando terminou em segundo lugar. Segundo a polícia, Pâmela faz parte de uma quadrilha de garotas de programa de luxo que vendem concaína para clientes poderosos, como empresários e políticos de Brasília. Os homens que frequentavam o flat de Pâmela Pantera e consumiam cocaína também devem ser intimados.

A polícia do Distrito Federal chegou até ela depois de demonstar uma rede de prostituição e venda de cocaína. Pâmela Pantera é apontada como chefe de um grupo de garotas de programa de luxo que atendiam nos hotéis de Brasília. Os programas custavam em média R$ 800. Em muitos desses encontros elas também comercializavam drogas. A investigação aponta que ela levaria drogas para programas em outros estados e até fora do Brasil.

Pâmela Pantera passou a ser conhecida no meio policial como a "Musa do Pó". Ela nasceu em São Paulo e tem 22 anos. Nas redes sociais, com nome de Flávia Tamayo, faz publicações sempre sensuais. Ao todo, 18 pessoas ligadas a ela foram presas em uma operação realizada na semana passada.

Na operação realizada pela polícia do Distrito Federal, seis garotas de programa e um fornecedor de cocaína foram detidos. Faltam ainda a polícia achar outros três homens que eram responsáveis por abastecer o estoque de drogas da quadrilha. Pâmela está nessa lista de criminosos procurados pelo Brasil.

À procura de Pâmela

Mas a polícia não conseguiu encontra a Pantera. Ela tinha acabado de deixar Brasília. A suspeita é de que a Musa do Pó esteja escondida em São Paulo, na capital ou em alguma cidade da Região Metropolitana. As buscas continuam. A estratégia é manter em sigilo os próximos passos da investigação.

O perfil de Flávia na rede social continua ativo. Fotos e vídeos que ostentam luxo e paisagens paradisíacas. Segundo a polícia, com o dinheiro do tráfico ela pode viajar o mundo. Pâmela esteve em parques temáticos internacionais, vinhedos e praias badaladas frequentadas por celebridades internacionais.

A jornalista e modelo Débora Porto participou do mesmo concurso que deu fama a Pâmela Pantera. "Ela postava fotos de casas, mansões e iates", diz Débora. "Para uma influencer já é dificil. Imagine para uma modelo? A não ser que ela seja a Gisele Bundchen. Aí é outro naipe."

A Record TV tentou contato por meio do telefone que Pâmela divulga na internet, sem sucesso.

Doutor Bumbum

Pâmela já se envolveu em outras polêmicas. Em uma entrevista concedida ao Balanço Geral ela afirmou que já foi vítima do médico Denis César Barros Furtado, mais conhecido como Doutor Bumbum, por aplicar de forma irregular produtos proibidos para aumentar a região dos glúteos.

O médico foi preso em julho de 2018. Ele foi denunciado pelo Ministério Público pela morte de uma paciente que tinha acabado de passar por um procedimento estético na casa dele. No começo de 2019, a Justiça aceitou o pedido de habeas corpus e ele responde pelo crime em liberdade.

Últimas