São Paulo Para Alckmin, "sabotagem" pode ter causado paralisação na Linha 3-Vermelha do Metrô

Para Alckmin, "sabotagem" pode ter causado paralisação na Linha 3-Vermelha do Metrô

Dez das 18 estações da linha foram interrompidas na noite de ontem; houve depredação

  • São Paulo

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou nesta quarta-feira (5) que o tumulto e a paralisação da Linha 3-Vermelha do Metrô, nesta terça-feira (4), foi resultado da ação de um grupo de vândalos e não descartou a possibilidade de "sabotagem".

— O problema poderia ter sido resolvido em dez minutos, mas em seguida quase dez botões de emergência foram acionados quase que simultaneamente [...] E aí, depredação. Eu não acredito que essas coisas sejam geração espontânea, acho que precisa ser investigado com seriedade, verificar com câmeras de vídeo qual a origem disso. O fato é que houve problema numa porta, resolvido em menos de dez minutos e que acabou causando esse grande transtorno para a população, em razão da ação inicial de um grupo de pessoas e depois de vândalos, que acabaram atacando estação, trem e destruindo patrimônio.

Uma falha nas portas de uma das composições paralisou todo o ramal em dez das 18 estações, durante cinco horas. Logo após o defeito, os botões de emergência de sete trens que vinham atrás foram acionados e os passageiros andaram pelos trilhos. A energia foi cortada e a circulação interrompida. Houve depredação e confusão.

O governador afirmou que as ações não parecem espontâneas e que precisam ser investigadas.

— Solicitei ao secretário [Jurandir Fernandes, dos Transportes Metropolitanos] quais medidas que podemos tomar para evitar ações desse tipo, como aumentar o policiamento, câmeras de vídeo e mais tecnologia.

Usuários do Metrô reclamam do sistema em rede social após caos na linha 3 - Vermelha

Leia mais notícias de São Paulo

Segundo Alckmin, é preciso encontrar formas de "evitar que o sistema de segurança possa ser utilizado por pessoas para fazer sabotagem ou para causar prejuízos".

Últimas