São Paulo Parte de casa desmorona durante chuva na zona norte de SP

Parte de casa desmorona durante chuva na zona norte de SP

Residência na Rua Vigário de Godoi será parcialmente interditada. Equipes da Subprefeitura Pirituba/Jaraguá trabalham no local

  • São Paulo | Do R7, com informações da Agência Record

Bombeiros utilizam botes para ajudar feirantes após chuva na zona norte de SP

Bombeiros utilizam botes para ajudar feirantes após chuva na zona norte de SP

Reprodução/Record TV

A Subprefeitura Pirituba/Jaraguá, que administra a região de Pirituba, castigada por um temporal que atingiu a zona norte de São Paulo nesta quinta-feira (14), iniciou os serviços de raspagem, varrição de resíduos provenientes da chuva e lavagem de vias. Houve também o desabamento parcial de uma residência na Rua Vigário de Godoi, que será parcialmente interditada. O CGE-SP (Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo) registrou hoje 42,6 mm de chuvas em Pirituba, e 85 mm no Ribeirão Vermelho (Zona Norte).

A Defesa Civil Municipal esclarece que não há registro de vítimas e que o proprietário da residência atingida ficará alojado em casa de amigos. A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social informou que foi acionada e iniciou o atendimento às famílias da Rua Vigário Godoi.

No momento, está com equipes no entorno das ruas Vigário de Godói, Manoel Barbosa, avenida Cabo Adão Pereira e Benvindo Vieira Júnior. Os fortes ventos e nível alto das águas prejudicaram os feirantes que trabalhavam no local. Os alimentos provocaram a obstrução da drenagem das águas.

Comerciantes da feira, que acontece na Avenida Miguel de Castro, próximo ao número 669, na Vila Zat, em Pirituba,  tiveram seus veículos e mercadorias arrastados pela enxurrada.

O Corpo de Bombeiros foi acionado ao local, por volta das 13h40, para prestar apoio aos populares. Onze viaturas chegaram a ser encaminhadas ao alagamento. Os agentes da corporação utilizaram um bote para socorrer seis pessoas que ficaram ilhadas no entulho, formado durante a enchente, e em residências na região.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, desde às 13h, cerca de 82 agentes de limpeza estão atuando em 11 pontos de alagamentos distribuídos pela cidade. As equipes estão executando serviços de desobstrução de bocas de lobo, retirada de grandes objetos, raspagem e lavagem das vias.

Por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras, o governo municipal afirmou que realiza ações de zeladoria e prevenção para o período de chuva durante o ano todo, com reformas de galerias, bocas de lobo e limpeza de córregos, piscinões, galerias e bocas de lobo.

No período de chuvas são intensificadas as limpezas de túneis e bocas de lobo, além de coleta adicional de resíduos sólidos domiciliares, antecipação das coletas de resíduos de varrição e coleta de pontos críticos e pontos viciados. Quando há transbordamento em córregos, os serviços de limpeza e zeladoria são iniciados na região atingida com o escoamento da água.

Serviços

Em toda a cidade, em 2020, foram reformados 34.385 poços de visita e bocas de lobo, inclusive com troca de tampas. Foram retiradas cerca de 215.234 mil toneladas de detritos nos córregos na cidade em 2.352.088 metros de extensão. Em relação à microdrenagem, foram retirados 17.386 metros cúbicos de detritos em galerias e ramais. Também foram podadas 174.361 árvores na cidade. Dos piscinões, foram coletadas 214,510 toneladas de detritos em 1.092,83 m² de extensão e realizou 149.020.680 m² em corte de mato e grama.

No período de Chuvas de Verão, a Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana) monitora 1.269 pontos para o melhor escoamento da água — esses locais estão recebendo intensificação de limpeza em mais de 8 mil bueiros e bocas de lobo, a fim de evitar pontos de alagamento nas 210 bacias da cidade.

Desde a implantação do plano de chuvas, de outubro a dezembro de 2020, foram coletadas 3 mil toneladas de resíduos de bocas de lobo.

Obras de drenagem na Zona Norte

Em nota, a Siurb (Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras) informou que, na zona norte, concluiu a construção de três novos piscinões no Córrego Tremembé, juntos eles têm capacidade para armazenar até 45 mil m³ de água, o equivalente a 18 piscinas olímpicas. Também foi concluída a canalização de 700 metros do Córrego Tremembé.

Já no Córrego Paciência, também na zona norte, a pasta diz ter finalizado a canalização de 260 metros do córrego, e está trabalhando na construção do piscinão que terá capacidade para armazenar 107 mil m³ de água, o equivalente a 42,8 piscinas olímpicas.

Últimas