Passageiros devem usar máscaras no transporte de SP a partir de hoje

Quem estiver sem máscara poderá ser impedido de usar ônibus, trem e metrô no estado. Na capital, multa é de R$ 3,3 mil a empresa que não cumprir regra

Passageira em ônibus na Avenida Paulista

Passageira em ônibus na Avenida Paulista

FÁBIO VIEIRA/FOTORUA/ESTADÃO CONTEÚDO - 29.04.2020

Passageiros do transporte público de São Paulo devem obrigatoriamente usar máscaras de proteção a partir desta segunda-feira (4). A medida vale para quem usa ônibus intermunicipais, coletivos da capital paulista, trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e Metrô. Devem também seguir a nova regra passageiros e motoristas de táxis e aplicativos de transporte.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus 

Pode ser usado qualquer tipo de máscara, descartável, profissional ou caseira, feita de pano. Valem também lenços amarrados sobre o nariz e a boca. O ideal é que haja uma camada dupla de tecido para aumentar a proteção. Quem não usar, corre o risco de ser barrado a caminho do trabalho ou de qualquer compromisso, e levar uma advertência verbal e se ser impedido de acessar o transporte. 

Multa

Empresas e prestadores de serviço vão fiscalizar e impedir a entrada e a permanência de pessoas sem máscaras no interior das estações, dos vagões e dos ônibus. As empresas estarão sujeitas a advertência e multa caso não cumpram a regra, segundo o governo do estado. Na cidade de São Paulo, a multa será de R$ 3.300 por dia e para cada ônibus em circulação com passageiros sem máscara.

Recusa

Motoristas de táxi ou aplicativo poderão negar a atender clientes sem proteção. Uma alternativa é oferecer ao passageiro um modelo descartável. 

Desde o início da quarentena, a demanda pelo transporte público no estado caiu até 75%. Ainda assim, deslocamentos diários são necessários para atender trabalhadores de serviços essenciais, como profissionais da saúde e limpeza.

Comercialização

Máscaras são comercializadas até no entorno das estações e terminais, com preços variados. O comprador deve ficar atento à qualidade e às condições de higiene do local.

Higienização

É recomendado vale lavar a máscara antes de usar e usar álcool em gel ou lavar as mãos antes de tocá-la. Durante a quarentena, camelôs não devem comercializar os produtos nas ruas.