Paulistanos deixam de viajar para curtir o carnaval de São Paulo

Um número maior de paulistanos preferiu permanecer na capital neste ano do que viajar para passar o carnaval no interior e no litoral paulista. Nas rodovias sob concessão estadual, o volume diário médio de carros foi 23,86% menor nesta folia do que na do ano passado, segundo levantamento feito pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Um dos possíveis motivos seria a maior atração dos blocos de rua paulistanos, levando muitas famílias da capital a abrir mão da viagem para ficar na cidade.

A Artesp considerou o movimento em 7,7 mil quilômetros de rodovias concedidas, entre elas os principais eixos de acesso à capital, no período da 0 hora de sexta-feira, 9, até as 12 horas desta Quarta-Feira de Cinzas, 14.

No Sistema Anhanguera-Bandeirantes, principal acesso à região de Campinas, no início da noite, ainda faltavam 70 mil veículos para atingir a expectativa de 960 mil carros circulando durante o carnaval.

No Sistema Castelo Branco-Raposo Tavares, o movimento foi de 3% a 6% menor, segundo a concessionária - os números finais só serão fechados nesta quinta-feira, 14, mas, até a tarde de quarta, estavam abaixo da previsão.

As estradas, mais tranquilas que o esperado, surpreenderam o engenheiro Moacir Goldoni, de Sorocaba, que passou o Carnaval no Guarujá. "Teve ano em que levamos seis horas só para chegar. Neste ano, fomos e voltamos nesse tempo."

Houve redução também em rodovias federais. Na Fernão Dias, a queda no movimento foi de 100 mil veículos neste carnaval, comparado com o de 2017.

Rodoviárias

Nos terminais rodoviários de São Paulo - Tietê, Barra Funda e Jabaquara -, o movimento de chegada de passageiros pode ter sido, pela primeira vez, maior que o de saída no carnaval. A empresa Socicam, que administra os terminais, havia estimado a saída de 760 mil passageiros em ônibus. Até o fim da tarde desta quarta-feira, o balanço não estava fechado, mas os números parciais indicavam um número maior de chegadas do que de partidas.

A estudante Patrícia Velasques, de 21 anos, de Sorocaba, desembarcou domingo, 11, com o namorado no Terminal Barra Funda para acompanhar os blocos. "Fomos à (Avenida) 23 de Maio, estava lotada. Não imaginava que o carnaval de São Paulo fosse tão animado", disse.