Pessoas em situação de rua poderão ter vagas em hotéis de São Paulo

Prefeitura poderá alugar vagas para mulheres vítimas de violência doméstica. Secretaria da Saúde planeja distribuição de máscaras para sem tetos

Pessoas em situação de rua poderão ter vagas em hoteis de São Paulo

Pessoas em situação de rua poderão ter vagas em hoteis de São Paulo

Ronaldo Silva / Estadão Conteúdo / 18/03/2020

A Prefeitura de São Paulo poderá alugar vagas de hospedagem em hotéis, pousadas, hospedarias para pessoas em situação de rua acima dos 60 anos e mulheres vítimas de violência, mediante comprovada necessidade. A medida foi publicada no Diário Oficial da quarta-feira (6).

Leia mais: SP terá mutirão para morador de rua tirar RG e acessar auxílio federal

"Abrimos o credenciamento de vagas em hotéis para pessoas em situação de rua com mais de 60 anos. A ideia inicial é acrescentar mais 500 vagas às já disponibilizadas nos abrigos", afirmou o prefeito Bruno Covas. 

Covas disse ainda que, vagas para mulheres vítimas de violência também poderão ser abertas. "Temos vários pontos de abrigamento, com um total de 140 vagas só para mulheres vítimas de violência", afirmou ele.

Leia mais: Uso de máscara é obrigatório em SP a partir desta quinta-feira (7)

Outra medida da administração municipal é a distribuição de máscaras. A Secretaria Municipal da Saúde, por meio das equipes do Consultório na Rua, afirmou ter distribuído 18 mil máscaras para pessoas em situação de rua.

Segundo o secretário da Saúde, Edson Aparecido, os equipamentos foram doadas para a prefeitura e as ações de distribuição foram realizadas em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS).

Leia mais: Governo de SP prevê 'dificuldades' com isolamento abaixo de 50%

O secretário de Saúde afirmou ainda que outras ações de distribuição de máscaras estão previstas. "Distribuímos outras três mil máscaras nas Instituições de Longa `Permanência para Idosos (ILPI) públicas e nas unidades privadas, e nas três unidades do Serviço de Atenção Integral ao Dependente (SAID), equipamento para atendimento de dependentes químicos", explicou Aparecido.