Coronavírus

São Paulo Plano SP é insuficiente, diz Sociedade Paulista de Infectologia

Plano SP é insuficiente, diz Sociedade Paulista de Infectologia

Entidade pede às autoridades políticas públicas mais rígidas no distanciamento social, com lockdown em algumas regiões

Agência Estado
Sociedade pede medidas mais rígidas de distanciamento social

Sociedade pede medidas mais rígidas de distanciamento social

CRIS FAGA / ESTADÃO CONTEÚDO

A SPI (Sociedade Paulista de Infectologia) divulgou uma carta afirmando que o Plano São Paulo, estratégia do governo paulista para conter a pandemia do coronavírus, é "insuficiente para reduzir a transmissão do vírus". A entidade pede às autoridades estaduais políticas públicas mais rígidas no distanciamento social, com lockdown em regiões "próximas ao colapso assistencial."

Em locais menos atingidos pela pandemia, a SPI pede que o governo do estado implemente restrições maiores aos serviços não essenciais, além de toque de recolher pelo menos a partir das 20h. Outra demanda da entidade médica é pela ampliação da testagem e velocidade na vacinação. "Uma vacinação lenta, em recortes populacionais, está fadada a não resultar em proteção efetiva em tempo oportuno", diz a carta.

Para a população, a recomendação é o distanciamento de pelo menos um metro e meio entre as pessoas, uso de máscaras bem ajustadas e higienização das mãos. A SPI também aconselha as pessoas a permanecerem em casa o maior tempo possível. "Cada medida isoladamente (e especialmente o conjunto de todas) impacta a cadeia de transmissão ou controle", diz trecho do documento.

A SPI lembra que, em fevereiro passado, a incidência de coronavírus caiu pela metade no mundo, mas continuou acelerando no Brasil, trazendo risco de colapso "não só da saúde, mas de toda a sociedade." A carta pontua, ainda, que não existem terapias eficazes contra a covid-19 e que a taxa de morte ou sequelas em pacientes graves é alta mesmo com os "melhores recursos assistenciais."

Últimas