São Paulo PM de SP mata uma pessoa a cada 12 horas em supostas resistências

PM de SP mata uma pessoa a cada 12 horas em supostas resistências

Segundo os dados oficiais, PMs fardados mataram 560 pessoas entre janeiro e setembro deste ano. No mesmo período, 34 PMs foram mortos

  • São Paulo | Do R7

Segundo a SSP, 34 PMs morreram em confrontos em 2020

Segundo a SSP, 34 PMs morreram em confrontos em 2020

Reprodução/Facebook

Uma pessoa morta a cada 12 horas. É essa a média da letalidade policial no Estado de São Paulo conforme dados divulgados nesta segunda-feira (26), pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), considerando apenas os casos registrados como "morte decorrente de intervenção policial" envolvendo policiais militares em serviço.

De acordo com as estatísticas, 560 pessoas tiveram a vida tirada após supostamente resistirem à abordagem policial em 2020. Outras 90 pessoas foram mortas após intervenção de policiais militares de folga.

Leia também: Número de vítimas de homicídios volta a crescer em São Paulo

O número de pessoas mortas por PMs fardados nos nove primeiros meses de 2020 é o mais alto da série histórica divulgada pelo governo paulista, iniciada no segundo semestre de 1995. O número mais próximo deste ano havia sido em 2003, quando 553 pessoas foram mortas por policiais militares em serviço, entre janeiro e setembro, em casos de supsota resistência.

Somente no mês de setembro, 37 pessoas foram mortas por policiais militares fardados, uma vítima a menos do que no mesmo mês de 2019. Outras 15 pessoas tiveram a vida tirada por PMs fora do horário de serviço, cinco a mais do que em setembro do ano passado. 

As estatísticas oficiais do governo ainda apontam que 34 policiais militares foram mortos nos nove primeiros meses deste ano em possíveis confrontos com criminosos. Desse, 18 morreram enquanto estavam trabalhando e os outros 16 foram vítimas durante confronto na folga.

Homicídios em São Paulo

As estatísticas divulgadas pelo Governo de São Paulo nesta segunda-feira também apontam que o número de vítimas de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) voltaram a crescer no Estado após oito anos de queda.

Conforme as estatísticas oficiais, 2.218 pessoas foram assassinadas nos nove primeiros meses deste ano. O número corresponde a oito pessoas mortas por dia no Estado de São Paulo. No mesmo período do ano passado, 2.080 pessoas tiveram a vida tirada.

O Governo do Estado de São Paulo disponibiliza as estatísticas de homicídios mensais a partir de 2001. Desde então, esta é a terceira vez que há uma alta entre janeiro e setembro de um ano comparado com o mesmo período do ano anterior. As outras altas aconteceram em 2009 e 2012.

Somente no mês de setembro, 248 pessoas tiveram a vida tirada intencionalmente em São Paulo — 36 a mais do que no mesmo mês de 2019. Segundo a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), o número faz com que a taxa de homicídios no Estado seja de 6,82 vítimas para cada grupo de 100 mil habitantes.

Últimas