PM mata GCM por engano em Itaquaquecetuba

Corporações foram atender ocorrência de roubo a carro; guarda estava armado e sem farda

PM mata GCM por engano em Itaquaquecetuba

Um policial militar matou um GCM (Guarda Civil Municipal) por engano na noite de sábado (6), em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. A vítima estava a serviço da prefeitura quando foi atingida.   

O guarda de 35 anos fazia um trabalho para a Secretaria Municipal de Cultura da cidade. O agente estava à paisana e acompanhava um evento na Câmara Municipal quando foi chamado por um homem que havia acabado de ter o carro roubado.   

A vítima e um colega, também guarda civil, mas que estava fardado, saíram à procura dos criminosos. A PM (Polícia Militar) também foi acionada para a mesma ocorrência. Durante a busca pelos criminosos, uma viatura da PM cruzou com o GCM, sem farda e com uma arma na mão. Nesse momento, ele foi baleado.   

Leia mais notícias de São Paulo

O guarda civil metropolitanos chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O caso foi registrado como homicídio decorrente de intervenção policial na Delegacia Central do município. O policial que atirou compareceu ao DP acompanhado de uma advogada. Representantes da PM, da GCM e o secretário de segurança de Itaquaquecetuba também estiveram na delegacia. 

    Access log