PM vai reforçar segurança durante paralisação de ônibus em SP nesta quarta-feira

Motoristas e cobradores vão cruzar os braços das 10h às 12h, devido à violência

Somente este ano, 119 ônibus foram incendiados na cidade de São Paulo
Somente este ano, 119 ônibus foram incendiados na cidade de São Paulo Peter Leone/Futura Press/Estadão Conteúdo - 3.11.2014

A Polícia Militar vai reforçar a segurança da cidade de São Paulo durante a paralisação de ônibus nesta quarta-feira (5). O ato é para protestar contra a onda de violência que tem resultado em ônibus depredados e incendiados nos últimos meses. Em outubro, um condutor morreu queimado em um ataque. Motoristas e cobradores prometem cruzar os braços e fechar todos os terminais da capital entre 10h e 14h.

De acordo com a PM, haverá policiamento em todos os terminais de ônibus, além de um reforço nos bairros, para evitar possíveis tumultos durante a paralisação.

A medida foi solicitada pela SPTrans, que também encaminhou ofício à Guarda Civil Metropolitana. A autarquia ainda comunicou o Metrô, a CPTM e a EMTU para que, caso seja necessário, reforce a operação das linhas durante a paralisação.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) deverá colocar em prática um plano operacional específico para evitar problemas no trânsito. Os agentes vão fazer o monitoramento intensivo da situação das vias.

A queixa dos trabalhadores é a falta de segurança. Só este ano, 119 coletivos foram incendiados, de acordo com o SPUrbanuss, sindicato que representa as empresas de ônibus. O número é 124% maior do que durante o ano passado inteiro.

O sindicato patronal descartou entrar na Justiça contra a manifestação e disse que apoia a causa. Apesar disso, a entidade pediu aos trabalhadores que mantenham ao menos 50% da frota circulando. O sindicato que representa os motoristas e cobradores disse não saber se atenderia a sugestão.

Paralisação de ônibus 'não tem sentido', diz Alckmin