São Paulo Polícia analisa novas imagens do suspeito de matar corretor em SP

Polícia analisa novas imagens do suspeito de matar corretor em SP

Investigação em andamento pelo DHPP já levantou gravações de prédio onde ocorreu o crime, na região central da cidade

  • São Paulo | Vinícius Costa, da Record TV

Polícia Civil obtém imagem de suspeito de matar corretor de seguros em SP

Polícia Civil obtém imagem de suspeito de matar corretor de seguros em SP

Reprodução

A Polícia Civil de São Paulo analisa novas imagens de monitoramento de segurança que podem auxiliar a identificar o responsável pela morte do corretor de seguros Evandro Monteiro, de 45 anos, ocorrida no apartamento onde morava, em Santa Cecília, na zona sul da cidade, no dia 6 de fevereiro.

O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), responsável pelo inquérito que apura o caso, tem gravações das câmeras do prédio que mostram a saída do suspeito do local. O carro e outros pertences da vítima foram roubados. Também há fotos do possível assassino.

Evandro Monteiro, de 45 anos, foi encontrado morto

Evandro Monteiro, de 45 anos, foi encontrado morto

Reprodução/Record TV

No material, percebe-se que o suspeito usa roupas diferentes daquelas que vestia quando chegou ao edifício. Ele também se protege com máscara e capuz. Os policiais identificaram que ele carregava embaixo do braço um notebook de trabalho da vítima.

Em uma das fotos é possivel ver o rosto do suspeito — que teve a entrada no prédio facilitada pela vítima. A polícia apura, nesse momento, quando e onde vítima e suspeito se conheceram. E ainda se as características físicas do criminoso coincidem com relatos de outras vítimas do bairro.

Segundo os investigadores, o corretor havia saído com um amigo na noite do sábado passado (6). Depois, ele teria sido deixado na casa da mãe assim que o encontro terminou. Na sequência, teria pegado o próprio carro para, de acordo com amigos, se encontrar com outra pessoa.

O corretor de seguros e o homem misterioso subiram juntos para o quarto andar e ficaram no local por cerca de 90 minutos.

Últimas