Polícia Civil de Amparo (SP) investiga hipótese de Ísis Helena estar viva

Segundo denúncia, a menina, de 2 anos, poderia estar em um cativeiro na cidade próxima de Itapira. Corpo não foi encontrado e mãe está presa

Polícia Civil de São Paulo não descarta hipótese de Ísis Helena estar viva

Polícia Civil de São Paulo não descarta hipótese de Ísis Helena estar viva

Reprodução/Record TV

A Polícia Civil de Amparo (SP) iniciou uma operação para investigar uma denúncia de que a menina Ísis Helena poderia estar viva e sendo mantida como refém de um sequestrador em um cativeiro na zona rural da cidade. As informações são da Record TV.

A hipótese foi aventada após o surgimento de um áudio com um suposto pedido de resgate. "Recebemos [a hipótese] como uma esperança", revelou o delegado Fernando Moralez, em entrevista exibida no programa Cidade Alerta desta segunda-feira (27).

A mãe, Jennifer Natalia Pedro, de 21 anos, foi detida por suspeita de envolvimento no crime e cumpre prisão preventiva na Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu, acusada de homicídio por dolo eventual e ocultação de cadáver. Porém, sem a localização do corpo e devido à impossibilidade da realização de uma autópisa, até o momento, a bebê de dois anos é dada como morta por sufocamento por leite e vômito em decorrência de uma convulsão. 

As equipes de busca utilizam barcos e até um sonar estão sendo utilizados para localizar vestígios do corpo de Ísis nas águas do rio do Peixe, onde a menina teria sido jogada. Habitantes de cidades do sul de Minas Gerais apoiam as equipes de busca com o uso de caiaques.

"Os caiques nos auxiliam nos pontos mais críticos", explicou Ronaldo Ramos da Silva, coordenador da Defesa Civil de Itapira. No entanto, o corpo da menina ainda não foi encontrado.