São Paulo Polícia de SP busca por suspeitos de participar de delivery de drogas

Polícia de SP busca por suspeitos de participar de delivery de drogas

Esquema milionário envolvia entrega de entorpecentes por aplicativo. São 10 mandados de busca e 3 de prisão temporária

  • São Paulo | Elizabeth Matravolgyi, da Agência Record

Três homens, entre 20 e 25 anos, foram presos em flagrante durante uma operação da Polícia Civil para prender integrantes de um grupo que transporta drogas em esquema de delivery em várias regiões de São Paulo. Os detidos seriam usuários e não os alvos da ação.

Na manhã desta quinta-feira (22), foi deflagrada a Operação Hermes. Foram expedidos 10 mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária.

Mais de 40 policiais em 20 viaturas deixaram a sede da CERCO (Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrências) da 1ª Delegacia Seccional, na Rua Aurora, com destino a bairros nobres das zonas oeste e sul da capital.

Foram mais de seis meses de investigação. O grupo é suspeito de vender drogas sintéticas por aplicativos de celular. As vendas são realizadas por pessoas de classe média alta e as drogas são de alto custo.

Polícia Civil de SP busca por suspeitos de participar de delivery de drogas

Polícia Civil de SP busca por suspeitos de participar de delivery de drogas

Reprodução / Record TV

O esquema consistia na venda de drogas de vários tipos, entre elas maconha e dry ice, que é uma espécie de haxixe, além de shetter, que é um óleo de extração de maconha, que varia de R$ 60 a 160 o grama. 

As drogas eram entregues por motoboys como um kit tabacaria. Muitas vezes eles nem sabiam que transportavam produtos ilícitos. Segundo a polícia, o esquema cresceu muito nos últimos meses de pandemia, utilizando serviços de entrega por aplicativo. 

As investigações apontaram também que um casal comandaria o esquema criminoso. Estima-se que 120 pessoas estejam envolvidas no esquema. A maioria dos suspeitos são jovens de classe média com idade entre 20 e 25 anos.

A suspeita é de que as drogas venham de outros países, possivelmente a Holanda. A Polícia Civil acredita que o grupo já movimentou cerca de R$ 1 milhão apenas neste ano.

No início de 2021, a polícia já havia cumprido dois mandados de busca e apreensão. O celular de um dos presos foi utilizado na investigação.

A polícia apreendeu 200 gramas de drogas, no valor de R$ 400 mil, além de embalagens de acondicionamento no valor de R$ 1.200.

Os três suspeitos que tiveram as prisões temporárias expedidas pela Justiça não foram localizados pela polícia. Eles já são considerados foragidos.

Últimas