São Paulo Polícia de SP procura entregador que levou presente-bomba à vítima

Polícia de SP procura entregador que levou presente-bomba à vítima

Investigadores acreditam que testemunho de motoboy será fundamental para chegar ao autor do crime

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Mulher recebeu presente-bomba. Ex é o principal suspeito pelo ataque

Mulher recebeu presente-bomba. Ex é o principal suspeito pelo ataque

Reprodução / Record TV

Os investigadores da polícia procuram o entregador que fez a entrega de um presente-bomba para a operadora de telemarketing, Edileuza Santos. O motoboy, segundo a polícia, é uma testemunha central para chegar ao autor do crime. O ex-namorado é o principal suspeito. "Ele a estaria constrangendo, inistindo para que discutissem a relação. Queria saber o motivo do término, ela o bloqueou e ele persistiu enviando e-mails a ela ", afirmou a delegada Marilda Romani.

Edileuza Cardoso Ramalho dos Santos, de 50 anos, ficou ferida depois de receber um buquê de flores e uma caixa que era, na verdade, uma bomba, em Francisco Morato, região metropolitana de São Paulo, por volta das 21h da terça-feira (5). O artefato explodiu assim que ela abriu o suposto presente. 

Edileuza teve de ser internada

Edileuza teve de ser internada

Reprodução / Record TV

Ela está internada em estado estável. Segundo Jhonata dos Santos, filho da vítima, Edileuza teve a audição afetada e um dos estilhaços entrou no olho dela. Ela também teve queimaduras de terceiro grau nos braços e recebeu pontos no queixo e na barriga.

O caso aconteceu na rua Ulisses Guimarães, no Jardim Professor Morato. A vítima, que trabalha como operadora de telemarketing, recebeu um buquê de rosas com um cartão e uma caixa, que ao ser aberta explodiu, causando ferimentos em seu corpo e destruição de partes da residência. O telhado ficou bastante danificado assim como portas e parte da cozinha e da sala.

O pacote endereçado à Edileuza chegou no último sábado (2), entregue por um motoboy, mas só foi aberto nesta terça-feira (5), após a vítima retornar de uma viagem ao litoral. Ao abrir o embrulho, ela percebeu a presença de fumaça saindo do pacote e, na sequência, houve a explosão.

Os familiares suspeitam que um ex-companheiro de Edileuza seja o responsável pelo envio da bomba. Isto porque a vítima terminou um relacionamento de 8 meses com o homem e, desde então, recebia ameaças dele por e-mail e redes sociais.

Edileuza foi socorrida por vizinhos e encaminhada para o hospital com ferimentos na barriga, nos braços e no rosto. O caso foi registrado como tentativa de homicídio qualificado e é investigado pela delegacia de Francisco Morato. Até o momento, ninguém foi preso.

Últimas