São Paulo Polícia encerra festa clandestina com quase 150 pessoas na zona sul

Polícia encerra festa clandestina com quase 150 pessoas na zona sul

Evento tinha pelo menos 89 homens e 52 mulheres, maioria sem máscara. Polícia apreendeu narguilés e equipamentos de som

  • São Paulo | Rodrigo Balbino, da Agência Record

Polícia encerra festa com quase 150 pessoas no extremo sul de São Paulo

Polícia encerra festa com quase 150 pessoas no extremo sul de São Paulo

Divulgação Polícia Civil

Equipes da Polícia Civil fecharam mais uma festa clandestina, desta vez realizada em um sítio na Travessa José Ólio, número 910, em Parelheiros, extremo sul da cidade de São Paulo, no início da madrugada deste sábado (17).

Esta atividade é mais uma ação da "Blits da Força Tarefa", que envolve equipes do Garra/Dope, Vigilância Sanitária e Procon e foi criada com objetivo de combater aglomerações e festas clandestinas durante a pandemia do novo coronavírus.

No momento da chegada dos grupos, 142 pessoas estavam no local, entre elas 89 homens e 52 mulheres, a grande maioria sem fazer uso de máscaras e sem a prática do distaciamento social. A polícia apreendeu no local equipamentos de som, narguilés e maquinas de cartões.

No local, foi observada a ausência de pontos com álcool gel, assim como determinam as regras estabelecidas pelo poder público.

Após o controle da aglomeração a polícia identificou cinco pessoas responsáveis pelo evento, sendo elas: Pedro Henrique Castane da Bassalobre, Robson Lopes Costa, Bruno Pereira de Almeida, Rubens Herrera Maluf, e Rodrigo Favero Garcia, além de duas testemunhas, Thaís Brunhani dos Santos e Leandro Pereira dos Santos.

Todos estes foram encaminhados à delegacia, onde assinaram um termo circunstanciado e foram liberados. O restante dos frequentadores foi liberado, após consulta de antecedentes criminais.

Agentes da Vigilância Sanitária Municipal, Estadual e Procon, promoveram a fiscalização e autuações cabíveis pelos descumprimentos das regras estabelecidas para a pandemia. Foram autos de infração e interdição para o local, principalmente pela falta de uso de máscaras.

O caso deve ser registrado no Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC).

Últimas