São Paulo Polícia fecha duas festas com quase 200 pessoas na zona sul de SP

Polícia fecha duas festas com quase 200 pessoas na zona sul de SP

No Brooklin, balada disfarçada de restaurante japonês reunia 99 pessoas. No Morumbi, 91 pessoas se aglomeravam em uma casa

  • São Paulo | Edilson Muniz e Bianca Santos, da Agência Record

Agentes do Comitê de Blitz de SP fecham duas festas clandestinas em bairros nobres de SP

Agentes do Comitê de Blitz de SP fecham duas festas clandestinas em bairros nobres de SP

Reprodução Record TV

A Polícia Civil de São Paulo encerrou duas festas com mais de 100 pessoas na zona sul de São Paulo durante a madrugada desta sexta-feira (4). A ação faz parte do Comitê de Blitz criado pelo Governo de São Paulo para reforçar a fiscalização do cumprimento das medidas restritivas contra a pandemia e atuar contra festas e aglomerações.

Na região do Brooklin, na rua dos Guararapes, número 1736, a polícia encerrou uma balada com cerca com 99 pessoas, sendo pelo menos 11 pessoas sem máscara. A fachada do local era de restaurante de comida japonesa, mas funcionava como balada.

Os jovens se aglomeravam compartilhando copos e bebidas, além de vários deles estarem fumando no ambiente. Três pessoas foram conduzidas para a delegacia e equipamentos de som e máquinas de cartão foram apreendidas.

O segundo endereço fica na região do Morumbi, localizado na avenida Lopes de Azevedo, número 515, onde mais 91 pessoas se aglomeraram em uma residência emprestada ao organizador para a realização de uma festa. Neste ponto, cerca de 10 pessoas estavam sem máscara de proteção.

O local é uma casa grande, de luxo, com frequentadores de alto padrão econômico. Outras três pessoas foram conduzidas à delegacia e mais equipamentos de som foram apreendidos pela polícia. Ambos os locais haviam diversos jovens com roupas elegantes, consumindo bebidas caras e carros de luxo estacionados nas proximidades.

Os organizadores dos dois eventos foram conduzidos ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), onde assinarão um termo circunstanciado. Os organizadores serão multados pela Vigilância Sanitária.

Últimas