São Paulo Polícia identifica seguranças que torturaram jovem em mercado

Polícia identifica seguranças que torturaram jovem em mercado

Rede Ricoy informou que funcionários foram afastados. Delegado afirma que ficou chocado quando viu imagens, porque são "extremamente violentas"

Adolescente, de 17 anos, é torturado por seguranças em mercado de SP

Adolescente, de 17 anos, é torturado por seguranças em mercado de SP

Reprodução Record TV

A Polícia Civil identificou os dois seguranças suspeitos de torturar um adolescente, de 17 anos, dentro de um supermercado na zona sul de São Paulo.

O adolescente afirmou, em depoimento policial, que furtou uma barra de chocolate da prateleira do supermercado. Em seguida, foi abordado por Santos, um dos seguranças. O jovem relatou que, neste momento, Neto chegou e ajudou o colega de trabalho. Juntos, levaram a vítima até um quarto nos fundos da loja, onde ocorreu a tortura.

A agressão ocorreu no mês passado, em um estabelecimento da rede Ricoy, no Jardim Selma. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra a tortura que o adolescente sofreu, por pelo menos um minuto.

Na ocasião, os dois seguranças agridem a vítima com um chicote com fios entrelaçados. “É chocante. Quando eu recebi o vídeo eu fiquei chocado, porque é uma imagem extremamente violenta”, classificou o delegado responsável pelo caso, José Luiz de Souza.

Leia mais: Vídeo mostra homem ameaçando menino de 3 anos com faca em SP

O crime foi identificado como tortura: “constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental”, de acordo com a lei 9.455, de 7 de abril de 1997. Um inquérito foi aberto no 80° DP (Vila Joaniza) e o delegado pediu ao supermercado informações sobre os dois seguranças. Souza deve, ainda, ouvir outros funcionários do estabelecimento.

O delegado pretende também saber se o episódio ocorre com frequência ou se foi um caso isolado. O chicote utilizado durante o crime também será alvo de diligências policiais. “Isso deverá ser apreendido, assim como o telefone de quem eventualmente tenha gravado a barbárie”, disse.

De acordo com a assessoria de imprensa da rede Ricoy, os dois seguranças foram afastados do trabalho.

Últimas