São Paulo Polícia investiga morte de criança desnutrida em hospital de SP

Polícia investiga morte de criança desnutrida em hospital de SP

Hospital Antônio Giglio acionou Conselho Tutelar depois que menino de seis anos teve parada cardiorrespiratório em decorrência de nutrição

  • São Paulo | Rodrigo Balbino e Isabelle Gandolphi, da Agência Record

Em entrevista à Record TV, pai e madrasta negaram possíveis maus-tratos

Em entrevista à Record TV, pai e madrasta negaram possíveis maus-tratos

Reprodução/ Google Maps

A Polícia Civil de São Paulo investiga a morte por desnutrição de uma criança de seis anos nesta quarta-feira (14) no Hospital Municipal Antônio Giglio, em Osasco, na Grande São Paulo. A família é suspeita de maus-tratos, depois que o garoto teve uma parada cardiorrespiratória em decorrência da desnutrição.

O menino estava internado desde o dia 9 de setembro. Enzo Pereira foi levado por sua madrasta, identificada como Mariana Valêncio Gomes, para o hospital no mês passado, após uma parada cardiorrespiratória. Durante a internação, a criança apresentava hematomas pelo corpo. Segundo a polícia, o hospital desconfiou de maus-tratos e acionou o Conselho Tutelar.

O Ministério Público investiga o caso e a polícia abriu um inquérito para apurar se a criança estaria sendo maltratada pela própria família. No boletim de ocorrência consta que Enzo chegou ao hospital sujo, com falta de cuidados com a higiene pessoal e magro. Também possuía vários hematomas pelo corpo.

De acordo com a polícia, os profissionais que atenderam a criança no hospital e alguns familiares já prestaram depoimento na delegacia. O próximo passo dos investigadores, é pedir o prontuário médico do hospital para identificar a causa exata da morte.

O pai e a madrasta da criança conversaram com a equipe da Record TV e confirmaram que a criança estava com hematomas, mas negaram que fossem responsáveis pelos machucados.

Durante entrevista concedida à repórter Marcela Varasquim, a madrasta relatou que sempre alimentava o menino e que não entendia porque ele estava tão magro. Ela disse, ainda, que os médicos afirmaram que ele estava com desnutrição crônica, mas que achava que o garoto estava com diabetes.

Ainda de acordo com o relato da madrasta, ela diz que não tem a criança como enteado, mas como filho. Ela alega estar com a consciência tranquila, porque nunca fez nada contra o menino.

Segundo a investigação, a mãe de Enzo, identificada como Bruna da Silva Rogaciano, o abandonou logo após seu nascimento, e o pai foi preso. O menino foi criado pela avó, identificada como Eliana Aparecida Valêncio. Há um ano, após o pai ganhar liberdade, a criança voltou a morar com ele e com a madrasta.

O hospital informou que não irá se pronunciar porque o caso envolve um menor de idade. O caso está sendo investigado pelo 10º DP de Osasco.

Últimas