São Paulo Polícia investiga se homem que matou clientes em restaurante queria atirar em seguranças

Polícia investiga se homem que matou clientes em restaurante queria atirar em seguranças

Maurício Alves estava preso e ainda precisava cumprir 14 anos em cárcere privado. Ele havia fugido da prisão durante "saidinha"

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Momento do crime foi flagrado por câmeras de segurança do estabelecimento

Momento do crime foi flagrado por câmeras de segurança do estabelecimento

Reprodução/Record TV

O suspeito de ter matado duas pessoas em um restaurante na Praia Grande, no litoral sul de São Paulo, identificado como Maurício Alves, de 35 anos, teria confundido as vítimas com seguranças, conforme relatou à Record TV o delegado Alex Mendonça do Nascimento, responsável pela investigação do caso. Essa é uma das linhas de investigação da Polícia Civil.

O homem estava foragido da polícia desde o início desde ano, após ter tido o benefício da "saidinha" no presídio onde estava. Ele havia sido condenado por extorsão mediante sequestro, e ainda tinha 14 anos de pena a cumprir.

"O primeiro contato com ele foi feito até de maneira informal. Maurício falava palavras desconexas e por fim, acabou não dizendo nada. Posteriormente, no interrogatório, ele também se reservou no direito de permanecer em silêncio", revelou Nascimento.

Ainda de acordo com o delegado, Maurício teria se envolvido em uma briga com seguranças de um estabelecimento vizinho. Depois, ele foi ao restaurante armado e atirou em Thaynã Higor e Walter Ramos Filho, que estavam no local confraternizando com alguns amigos.

Câmeras de segurança do restaurante gravaram o momento do crime. É possível ver que três pessoas estavam indo embora, quando o homem chega e os obriga a voltar para dentro.

Na sequência, ele atira contra as duas vítimas. Walter chegou a ser socorrido com vida a um hospital da região, e Thaynã, que era campeão mundial de jiu-jitsu, morreu ainda no local.

Agora, Maurício deve ter a pena aumentada por ficar foragido, homicídio e cárcere privado.

Últimas