São Paulo Polícia Rodoviária Federal apreende mais de 160 aves silvestres em rodovias de SP

Polícia Rodoviária Federal apreende mais de 160 aves silvestres em rodovias de SP

Na noite de quarta-feira, 21, um veículo do modelo HB-20 não parou ao comando da Polícia Rodoviária (PRF) na Rodovia Régis Bittencourt, e foi perseguido. Os ocupantes decidiram então abandonar o veículo com a carga - mais de 160 aves silvestres, algumas já sem vida. Por orientação do Ibama, as aves traficadas foram encaminhadas ao Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres (Cemacas), da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.

Saíras, guaxes e coleirinhas, dentre outras, chegaram famintas, desidratadas com sinais de estresse e maus tratos e passaram por avaliação clínica. Vinte e seis aves não resistiram às condições do transporte precário.

"Depois de tratadas, essas aves serão recolocadas na natureza porque, além de cuidar dos animais silvestres, o Cemacas tem a preocupação de devolver cada exemplar em seu devido lugar, garantindo a preservação das espécies", explica o secretário do Verde e do Meio Ambiente, Gilberto Natalini.

Na mesma data, na Rodovia Fernão Dias, Km 65, a PRF também apreendeu aves silvestres transportadas de forma ilegal. Foi abordado um veículo VW/GOL placas do Espírito Santo, conduzido por um homem de 52 anos.

Policiais realizaram buscas no interior do veículo e encontraram, no assoalho do banco traseiro, encoberta por uma blusa, uma gaiola com 2 picharros e 1 tico-tico, e, ainda uma outra caixa de madeira de pequenas dimensões com 1 picharro.

Os pássaros silvestres eram transportados em péssimas condições que ofereciam risco à sua sobrevivência. Diante dos fatos, o motorista, o veículo e os pássaros foram apresentados à autoridade judiciária no DP Civil de Mairiporã/SP. O condutor responderá por crimes ambientais

A Constituição Federal, por meio do artigo 225, protege a fauna silvestre, o que não impede que alguns seres humanos queiram "aprisionar" as aves pela beleza da plumagem e canto.

Negociados até em feiras livres, os "receptadores" ignoram o mal que causam ao animal e à biodiversidade. O terceiro maior comércio ilícito do mundo (só perde para narcóticos e armas) representa até 15% de aves extraídas das matas brasileiras, e cerca de 90% delas morrem no trajeto.

A América do Sul possui a mais rica Avifauna do planeta, com mais de 2.950 espécies. As aves enclausuradas em gaiolas perdem sua capacidade de caça e de defesa dos predadores, além de serem privadas do processo reprodutivo.

    Access log