São Paulo Policiais civis devem usar 'faixa de luto' para protestar contra Governo

Policiais civis devem usar 'faixa de luto' para protestar contra Governo

Sindicato dos Delegados de São Paulo afirma que não haverá paralisação no serviço policial do Estado. Ação deve acontecer nesta segunda (12)

Policiais civis devem usar 'faixa de luto' para protestar contra Governo

Policiais devem usar faixa preta no braço nesta segunda (12)

Policiais devem usar faixa preta no braço nesta segunda (12)

Divulgação/Sindpesp

Policiais civis do Estado de São Paulo devem trabalhar com uma faixa preta no braço na próxima segunda-feira (12), marcando o início da campanha "Luto pela Polícia Civil".

A ação é uma forma de protestar contra as "péssimas" condições de trabalho oferecidas pelo Governo Geraldo Alckmin (PSDB), segundo a Sindpesp (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo).

De acordo com o sindicato, 10 mil faixas pretas foram confeccionadas para simbolizar o "Luto pela Polícia Civil". A ação é organizada pelo Sindpesp em parceria com a Adpesp (Associação dos Delegados de Polícia de São Paulo).

Segundo o Sindpesp, a campanha não vai paralisar o trabalho policial e, se algum policial for questionado, deve responder que “representa luto pela Polícia Civil, sucateada de forma implacável pelo Governo de São Paulo, nos últimos anos”.

Segundo a presidente do sindicato, a delegada Raquel Kobashi Gallinati, a campanha é uma forma de protestar contra “salários baixos, condições precárias de trabalho, atuação tolhida e investigação prejudicada”.

Para a Raquel, a segurança pública do Estado de São Paulo está abandonada. Ela afirma que a falta de estrutura, tecnologia, de armamentos e policiais afetam diretamente no cotidiano da população, o que impede e limita o trabalho policial.

“Para que a criminalidade seja extirpada, não adianta continuarmos atuando somente com os efeitos. Devemos atuar nas causas para que se consiga um resultado efetivo. Somente com uma Polícia Civil estruturada e forte que podemos conseguir um resultado para que desmantelemos a estrutura das organizações criminosas”, disse Raquel.

A expectativa do sindicato é que a campanha seja aderida por policiais civis da capital, região metropolitana e também do interior paulista.

Sindicato e associação dos Delegados confeccionaram 10 mil faixas pretas

Sindicato e associação dos Delegados confeccionaram 10 mil faixas pretas

Divulgação/Sindpesp

Secretaria diz estar aberta ao diálogo

Questionada pelo R7 às 20h de sábado (10), a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) enviou, às 17h de domingo (11), a seguinte nota:

"A Secretaria da Segurança Pública respeita o direito a manifestações baseadas em princípios legais, de forma que a população não seja prejudicada, e esclarece que está atenta e aberta ao diálogo com representantes das categorias profissionais. Contudo, é preciso ressaltar que a pasta tem realizado constantes investimentos para aprimorar a Polícia Civil.

Em oito anos, 4.987 agentes de todas as carreiras foram contratados e R$ 241 milhões foram investidos na aquisição de 3.641 novas viaturas. Além disso, 825 policiais estão em formação e já foi autorizada a abertura de concursos para a seleção de mais 2.750.

No ano passado, o governo deu início ao projeto de modernização de 120 delegacias e, em 2017, mais de R$ 18 milhões foram repassados aos cofres da Polícia Civil só para o custeio das unidades."

    Access log