São Paulo Policiais envolvidos no caso de tiro a cozinheiro em SP são afastados

Policiais envolvidos no caso de tiro a cozinheiro em SP são afastados

Ouvidor das polícias de São Paulo instaurou, mais cedo, procedimento para investigação do caso. Agentes permanecerão afastados durante investigações

  • São Paulo | Do R7

Agentes ficarão afastados durante investigações

Agentes ficarão afastados durante investigações

Reprodução Record TV

Os policiais envolvidos no caso do homem de 32 anos que foi baleado em uma ação da PM no bairro de São Mateus, na zona leste de São Paulo, na noite do domingo (26), foram afastados após inquérito da Corregedoria da Polícia Militar, como confirmou a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) nesta terça-feira em comunicado oficial.

Na nota, a pasta afirmou que os agentes ficarão nesta condição durante o período das investigações sobre o disparo sofrido por Claudemir Cipriano da Silva, de 32 anos.

Mais cedo, também nesta terça, o ouvidor das polícias de São Paulo, Benedito Mariano, havia instaurado um procedimento para investigação do caso. "Ele cometeu um desvio de conduta e essa fala só agrava", afirmou Mariano sobre o agente que aparece em um vídeo gravado por moradores da região.

As imagens mostram um policial militar ao lado de uma viatura de código M38202, com arma em punho, quando ocorre um disparo. Em seguida, os moradores começam a discutir e o policial afirma: "amanhã vou preso (...) pra mim tanto faz."

O caso

Claudemir Cipriano da Silva, de 32 anos, foi baleado supostamente por um policial militar, na noite do domingo (26), no Jardim Cinco de Julho, em São Mateus, zona leste de São Paulo. Familiares da vítima afirmam que o tiro partiu de um policial militar.

Moradores do bairro comemoravam o aniversário de time local em uma confraternização com música. Nesse momento, uma viatura da Polícia estacionou perto do local e exigiu que o som fosse desligado. Após uma suposta discussão entre moradores e policiais, o PM disparou.

No vídeo gravado pelos moradores, não é possível identificar a vítima, mas a família de Claudemir afirma que o cozinheiro foi atingido por um tiro que partiu da arma do policial. Ele foi encaminhado ao Hospital Santa Marcelina, na zona leste, e exames constataram que a bala está alojada a 30 milímetros do coração.

Segundo um familiar da vítima, o quadro médico de Claudemir evoluiu e ele não se encontra mais em estado gravíssimo. Novos exames serão feitos na manhã desta terça-feira (28) para que a equipe médica se certifique de que não há riscos na realização de uma cirurgia para retirada do projétil.

Últimas