Policiais são indiciados por tentativa de extorsão a jovem desaparecido

Áudios recuperados do celular de Thales Santana apontam que policias pediram R$ 2 mil. O adolescente está há 2 meses desaparecido com um amigo

Jovem está há mais de dois meses desaparecido

Jovem está há mais de dois meses desaparecido

Reprodução/Record TV

A Polícia Civil de São Paulo decidiu indiciar os agentes Flávio Cesar d'Ávila e Emerson Roberto de Mello Sinibaldi, do 59º DP (Jardim dos Ipês), pelo crime de corrupção ativa, após a corregedoria concluir que os policiais tentaram extorquir um adolescente que está desaparecido, junto com um amigo, há mais de dois meses.

De acordo com as investigações, os policiais tentaram extorquir o valor de R$ 2 mil do adolescente Thales Barreto de Santana, de 17 anos, para não prendê-lo, após supostamente encontrarem drogas no interior da mochila do adolescente, no dia 18 de agosto de 2020.

A Corregedoria da Polícia Civil usou áudios recuperados do telefone da vítima que comprovaram a tentativa de extorsão.

O jovem desapareceu um dia após a cobrança do valor e permanece desaparecido até o momento. Ele estava em casa, no bairro Jardim Helena, zona leste de São Paulo, quando saiu para encontrar o amigo, de apelido "Cavalo", no portão da residência para andar de bicicleta, e não foi mais visto. O amigo também sumiu.

Ele saiu sem documentos e celular, vestindo uma camisa azul, uma bermuda listrada azul e preta e um chinelo preto.

Segundo o advogado de defesa do jovem, como os policiais ameaçaram que prenderiam, matariam ou fariam algo com a mulher de Thales caso ele não conseguisse o dinheiro, o rapaz fez várias ligações e acabou citando nomes de traficantes. Os traficantes podem ter desconfiado que Thales estaria delatando os criminosos, por estar fazendo ligações, possivelmente na frente dos policiais, ou com telefone grampeado e podem estar envolvidos no desaparecimento dos homens.

Em depoimentos na Corregedoria da Polícia e no DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa), a mãe e a esposa do jovem disseram que ele foi obrigado pelos policiais, mediante ameaças de até abusarem sexualmente da filha dele de apenas 10 meses, além de ameaças de morte e prisão, a gravar um vídeo delatando traficantes da região. Esse vídeo foi gravado e ficou com os policiais.

A polícia acredita que o vídeo, gravado sob ameaças, acabou gerando o desaparecimento de Thales. Os envolvidos nos desaparecimentos e nas possíveis execuções estão sendo procurados.

Sem ter notícias do filho há mais de dois meses, o pai de Thales morreu em decorrência de um infarto no último sábado (24).

A delegacia de desaparecidos do DHPP continua investigando o desaparecimento dos jovens. O Ministério Público agora pode apresentar formalmente uma denúncia ou pedir o aprimoramente das investigações.