Coronavírus

São Paulo Por vacina, funcionários do Hospital Universitário protestam em SP

Por vacina, funcionários do Hospital Universitário protestam em SP

Segundo Sintusp, não há doses suficientes para imunizar todos os trabalhadores da unidade. Dois morreram de covid-19

  • São Paulo | Letícia Assis, da Agência Record

Protesto por vacinação no HU

Protesto por vacinação no HU

Reprodução

Trabalhadores do Hospital Universitário da USP  realizam uma manifestação na manhã desta segunda-feira (1º). A principal reivindicação do grupo é a vacinação em massa de todos que trabalham na unidade hospitalar.

De acordo com o Sintusp (Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de São Paulo), funcionários estão concentrados na porta do HU, localizado na avenida Professor Lineu Prestes, 2.565, na Cidade Universitária.

Ainda segundo o sindicato, mesmo com a paralisação, foi mantida uma escala mínima para o funcionamento do hospital.

Até o momento, de acordo com o Sintusp, foram encaminhadas inicialmente 200 doses, sendo que a lista completa de funcionários efetivos, temporários, terceirizados e residentes tem 1.998 nomes. A superintendência do HU teria anunciado a chegada de mais 500 doses. Ainda assim, o número é insuficiente, segundo o sindicato.

"Defendemos que todos que trabalham no hospital sejam imunizados, pois o vírus não reconhece barreiras formais de setores, vínculos de contrato ou coisas semelhantes. Todo o ambiente do hospital é passível de risco, ainda mais considerando a atual situação de agravamento da pandemia, que faz com que ocorram vários atendimentos no HU de pessoas com covid", informa a nota.

Ainda de acordo com o sindicato, dois funcionários do HU morreram de covid-19. O grupo montou um memorial com cruzes fincadas na grama. Em frente a cada uma, há uma placa com o nome dos colaboradores vítimas da doença.

Ato acontece em frente à entrada principal do Hospital Universitário

Ato acontece em frente à entrada principal do Hospital Universitário

Reprodução

Outras reivindicações

Os funcionários do HU pedem o cumprimento da liminar, que libera os trabalhadores do grupo de risco, e a criação de um grupo de trabalho para definir as áreas de menor risco.

O Sintusp defende a criação de uma comissão de funcionários e sindicato para a construção de um canal de diálogo com a superintendência do hospital.

O grupo também solicita maior transparência na divulgação do número de trabalhadores que serão contratados e da renovação dos contratos temporários do HU.

Últimas