Novo Coronavírus

São Paulo Poupatempo de SP terá serviços online para evitar aglomeração

Poupatempo de SP terá serviços online para evitar aglomeração

Governador anunciou outras medidas como mutirão para moradores de rua tirarem RG e repasse de R$ 3 milhões a abrigos para idosos

  • São Paulo | Do R7

Postos de atendimento do Poupatempo reunia aglomerações em SP

Postos de atendimento do Poupatempo reunia aglomerações em SP

Valéria Gonçalves - 30/12/2008 - Agência Estado

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou nesta quarta-feira (6), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, que o Poupatempo oferecerá serviços de forma digital para evitar aglomerações prejudiciais ao combate do novo coronavírus em postos de atendimento. 

Leia mais: SP terá mutirão para morador de rua tirar RG e acessar auxílio federal

"A utilização do serviço digital facilita e poupa o tempo das pessoas. Os serviços podem ser feitos pelo celular", disse o governador. Entre os serviços oferecidos, Doria destacou a segunda via e renovação da CNH, o acesso ao seguro desemprego, atestado de antecedentes criminais, serviços da CDHU e da Sabesp.

Além disso, o governador anunciou outras medidas para enfrentar a crise do coronavírus. Uma delas é um mutirão será realizado para fornecer às pessoas em situação de rua o registro de identidade, o RG, e assim conseguirem acessar o axílio emergencial pago pelo governo federal.

Leia mais: Governo de SP prevê 'dificuldades' com isolamento abaixo de 50%

"Orientei a Secretaria de Segurança Pública para realizar um mutirão para atender a população de rua para oferecer carteira de identidade para acessarem o auxílio", afirmou Doria. "O general Campos orientou a Polícia Civil."

Doria disse que vai repassar R$ 3 milhões aos centros de acolhimento dos idosos que vivem com dificuldade. A medida, segundo o governo, beneficiaria 19 mil idosos em 590 abrigos da cidade, interior e litoral de São Paulo. O dinheiro será utilizado para máscaras e luvas.

Isolamento e luto

Em relação à taxa de isolamento, medida pelo sistema de monitoramento inteligente do governo, foi registrado o percentual de 48% na terça-feira (5). "É bem abaixo da média mínima desejada. Nenhuma medida será adotada sem a média de 50% e 60% e infelizmente não estamos alcançando essa média", disse Doria.

Leia mais: Para 6 em cada 10 paulistanos não cumprir isolamento é desvantagem

O governo anunciou ainda que, a partir de quinta-feira (7), será decretado luto oficial para todo o estado de São Paulo enquanto durar a pandemia. A medida foi tomada após o estado alcançar a marca dos 3 mil mortos por coronavírus. "O maior volume de mortes em uma circunstância em menos de 60 dias, são  3 mil vidas perdidas."

Doria comentou ainda a visita do ministro da Saúde, Nelson Teich, a Manaus, uma das cidades mais atingidas pela covid-19. "Ele teve a coragem de ir a Manaus para ver de perto o colapso de saúde presencialmente ao lado do governador e do prefeito", afirmou. Ele sentiu, olhou com clareza a gravidade que essa crise causou no país. Ele declarou que não há a menor hipótese de descartar a conduta do isolamento social."

Leia mais: Justiça derruba relaxamento do isolamento social no interior de SP

O estado registrou 3.045 óbitos e uma taxa de ocupação de UTI de 86,6%. "Estamos brincando com a sorte", disse José Henrique Germann. "Estamos vendo uma frouxidão e uma velocidade da taxa de infecção. A única arma que temos é o distanciamento social. É fundamental que a população continue se sacrificando", afirmou David Uip, coordenador do Centro de Contenção ao Coronavírus.

Últimas