São Paulo Prefeito de São Paulo, Bruno Covas recebe alta hospitalar após 12 dias

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas recebe alta hospitalar após 12 dias

Político tucano havia sido internado no dia 15 de abril, no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, após agravamento do câncer

  • São Paulo | Do R7

Covas recebeu alta do Hospital Sírio-Libanês

Covas recebeu alta do Hospital Sírio-Libanês

ROGÉRIO GALASSE - 08/02/2021/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), recebeu alta do Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, nesta terça-feira (27). Ele estava internado desde o dia 15 de abril, após ter um agravamento no câncer que enfrenta.

Covas luta contra o câncer na cárdia desde outubro de 2019. No dia 17 de fevereiro, um novo nódulo foi detectado no fígado mudando os rumos de sua recuperação.

Nessa última internação, o prefeito passou por novos exames de rotina e descobriu o surgimento de novos pontos do câncer, que atingiram o fígado e os ossos. Devido a esse agravamento, ele precisou ficar internado.

De acordo com o boletim médico divulgado nesta terça-feira, depois de ter sido internado, o prefeito receneu tratamento oncológico com um novo protocolo de quimioterapia em conjunto com imunoterapia e, agora, "bem tolerado, deverá prosseguir com aplicações de 48 horas a cada duas semanas".

No hospital, Covas passou por tratamento com quimioterapia e imunoterapia. Ele chegou a receber alimentação complementar por via intravenosa e apresentou acúmulo de líquidos ao redor do pulmão e no abdômen. Isso fez com que o tratamento fosse prolongado.

O boletim médico desta terça-feira informa ainda que Covas "foi submetido a drenagem pleural e seu quadro evoluiu com sucesso, com redução do líquido e melhora clínica", possibilitando, então, sua alta hospitalar.

O prefeito paulistano está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelos médicos David Uip, Artur Katz, Tulio Eduardo Flesch Pfiffer e Roberto Kalil Filho. O boletim médico foi assinado por Fernando Ganem, diretor de governaça clínica do Sírio-Libanês, e Angelo Fernandez, diretor clínico.

Últimas