Prefeitura cria comissão para apurar queda de passarela em SP

Portaria foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (19). Acidente aconteceu na quinta-feira (14) na Marginal Tietê e deixou dois feridos

Passarela desaba na Marginal Tietê, sentido Castelo Branco, na quinta-feira (14)

Passarela desaba na Marginal Tietê, sentido Castelo Branco, na quinta-feira (14)

WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras da Pefeitura de São Paulo criou, nesta terça-feira (19), uma comissão para apurar as causas da queda da passarela de serviço na Marginal Tietê. O acidente ocorreu na quinta-feira (14) e deixou duas pessoas feridas. 

Segundo a portaria publicada no Diário Oficial nesta terça-feira, a comissão será formada pelo presidente Paulo Cesar Nannini e por Gabriel Bizarria Cintra, Nilton Laganá Junior e Mozart Correa Filho. O grupo será responsável por investigar possíveis irregularidades na prestação de serviços.

De acordo com os artigos, a comissão deverá analisar as responsabilidades pela queda da estrutura e contrato, levantando irregularidades na prestação de serviços junto à Secretaria, além de propor medidas adequadas. 

Leia mais: Após quase 10 horas bloqueada, Marginal Tietê é liberada

A comissão poderá requisitar documentos, vistorias e análises técnicas. As conclusões serão apresentadas em 30 dias.

Desabamento

Localizada no sentido Rodovia Castello Branco, perto da alça de acesso para a Rodovia Anhanguera, a passarela desabou por volta das 19h20 da quinta-feira (14), quando chovia intensamente na capital. A estrutura metálica caiu sobre dois ônibus e um carro, deixou duas pessoas levemente feridas e causou a interrupção total da via.

Os dois feridos estavam em um veículo Chevrolet, modelo Cobalt, e sofreram escoriações leves. Eles foram encaminhados Pronto Socorro Metropolitano da Lapa, na zona oeste de São Paulo. Os ocupantes dos dois ônibus atingidos não sofreram ferimentos.

Um dos coletivos atingidos pertence à empresa Lirabus que faz fretamentos ligando São Paulo às cidades de Guarulhos, Campinas, Jundiaí, Indaiatuba, Vinhedo, Limeira e Sorocaba. O outro ônibus é da empresa Real Maia, que realiza viagens interestaduais cobrindo nove estados do país.

A Prefeitura informou que a passarela foi construída pelas empresas EIT e Constran para passagem dos operários que trabalham na obra da ponte Lapa-Pirituba. Em nota, as empresas lamentaram o ocorrido e afirmaram estar apurando as causas o acidente.