São Paulo Prefeitura de São Bernardo entra na Justiça por volta de ônibus

Prefeitura de São Bernardo entra na Justiça por volta de ônibus

Motoristas estão em greve há dois dias no município da Grande SP. Prefeitura quer ao menos 70% dos coletivos de volta

  • São Paulo | Mariana Rosetti, da Agência Record

Motoristas pararam ônibus em greve no ABC

Motoristas pararam ônibus em greve no ABC

Reprodução

A Prefeitura de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, entrou na Justiça nesta quinta-feira (25) pedindo para que pelo menos 70% da frota do transporte coletivo do município retorne às atividades de trabalho de forma imediata, garantindo a oferta para a população.

A medida ocorre após o Sintetra (Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC) realizar manifestação, que resultou na paralisação do transporte público municipal. Os motoristas realizam uma greve e paralisaram o funcionamento do transporte público nesta quinta-feira, sendo o segundo dia consecutivo que passageiros da região enfrentam dificuldades para embarcar nos coletivos.

Segundo o sindicato, a categoria é contra o atraso do vale alimentação, de férias, da participação nos lucros da empresa e do adiantamento do salário, que deveria ter ocorrido dia 20. Os motoristas disseram que só irão retomar o funcionamento do transporte caso as reivindicações sejam atendidas.

A prefeitura afirma que não foi comunicada anteriormente sobre o ato e que considera uma irresponsabilidade esta paralisação. No momento, devido à manifestação, as linhas municipais seguem fora de circulação.

A Prefeitura de São Bernardo do Campo aguarda a decisão da Justiça. Já a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) disse que a fiscalização operacional identificou que faltaram saídas de viagens das linhas 156, 156BI1, 156VP1, 255 e da linha 305, na manhã desta quinta-feira (25).

"A EMTU vai autuar a empresa Expresso SBC, responsável pela operação. Os usuários podem registrar reclamações como essas nos canais de atendimento da EMTU, como fale conosco disponível no site emtu.sp.gov.br ou mensagem direta nas redes sociais", disse a EMTU em nota.

Últimas