São Paulo Prefeitura de SP abre cadastro de blocos para Carnaval de Rua 2020

Prefeitura de SP abre cadastro de blocos para Carnaval de Rua 2020

Período oficial dos desfiles será entre 15 de fevereiro e 1° de março de 2020. Antes de realizar inscrição, organizadores terão acesso ao Guia de Regras

Prefeitura de SP abre cadastro de blocos para Carnaval de Rua 2020

Prefeitura de SP abre cadastro de blocos para Carnaval de Rua 2020

Prefeitura de SP abre cadastro de blocos para Carnaval de Rua 2020

Luty Faria/Thenews2/Folhapress - 25.02.2019

A Prefeitura de São Paulo antecipou o planejamento do Carnaval de Rua e abriu inscrições para blocos, bandas e cordões carnavalescos. Os interessados devem se inscrever, por meio do site (neste link), até 30 de setembro.

O período oficial dos desfiles será entre 15 de fevereiro e 1° de março de 2020. Antes de realizar o cadastro, os organizadores dos blocos terão acesso ao Guia de Regras, documento com diretrizes para os desfiles.

Leia mais: Prefeitura de SP recolhe mais de 649 toneladas de lixo durante Carnaval

Neste ano, a capital recebeu 516 blocos, em 556 desfiles e 300 trajetos. Segundo a administração pública, o carnaval paulistano reuniu 5,1 milhões de pessoas – a soma inclui blocos de rua, palcos e desfiles das escolas de samba do Anhembi.

“O Carnaval de Rua de São Paulo é um dos maiores e melhores do Brasil. Todo mundo hoje quer vir passar o carnaval aqui. Nossa festa é a cara da cidade, construída pela tradição cultural dos blocos nos últimos anos, no modelo de carnaval livre, democrático, descentralizado e organizado que está se tornando referência, com artistas da cidade e de todo o país. Em 2020 vamos celebrar a diversidade do nosso Carnaval, que é uma síntese do Carnaval do Brasil”, disse o secretário municipal de Cultura, Alexandre Youssef.

Veja também: Pela 1ª vez, Prefeitura de São Paulo multa blocos em mais de R$ 300 mil

Desde agosto deste ano, a Comissão Intersecretarial da Cidade vem realizando o processo de escuta e diálogo da história do Carnaval de São Paulo por meio de seminários regionais e diversos encontros com organizadores de blocos, comerciantes, moradores e membros da sociedade civil, a fim de identificar as principais demandas de cada região.

Após o processo de cadastramento dos blocos, a Comissão fará a análise dos trajetos propostos e os ajustes caso a caso, se necessário. Uma portaria com as autorizações de trajetos será publicada ao final do projeto.