Coronavírus

São Paulo Prefeitura de SP decide informar fabricante de vacina contra covid-19

Prefeitura de SP decide informar fabricante de vacina contra covid-19

Mesmo após polêmica da escolha de imunizantes, intenção é facilitar busca da população para a segunda dose nos 700 postos

  • São Paulo | Joyce Ribeiro, do R7

Prefeitura começou a vacinar grávidas e puérperas em casa com segunda dose da Pfizer

Prefeitura começou a vacinar grávidas e puérperas em casa com segunda dose da Pfizer

Divulgação / Prefeitura de SP

Mesmo com a polêmica escolha de imunizantes contra a covid-19, a Prefeitura de São Paulo pretende incluir no site De Olho na Fila a informação de qual vacina a população vai encontrar em cada um dos 700 postos da capital. Segundo o prefeito Ricardo Nunes (MDB), a intenção é facilitar a busca por determinado fabricante no caso da aplicação da segunda dose. 

As adaptações ainda não têm data para serem feitas no site conhecido como filômetro, segundo o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, que explicou ser mais difícil procurar por determinado fabricante.

"É um problema real. Agora as quantidades de segunda dose são menores e distribuir de forma igual nos 700 postos da cidade é um complicador. Nós estamos tentando colocar no filômetro o tipo de imunizante para que a pessoa não bata em 2, 3 ou 4 UBSs atrás de determinado fabricante", afirmou o secretário.

Apesar da estratégia, a prefeitura não acredita que vá estimular a escolha dos fabricantes porque o cidadão terá de apresentar a carteirinha de vacinação para comprovar que deverá receber a segunda dose.

A cidade de São Paulo tem hoje 218 mil pessoas com a segunda dose em atraso e 80% da população elegível já foi vacinada com a primeira dose contra covid-19.

Suspensão de vacina para 28 anos

A prefeitura havia anunciado o início da vacinação para moradores de 28 anos para quinta-feira (29), mas precisou suspender a campanha. Apenas a primeira dose para 29 anos está garantida nesta terça e quarta-feira (27 e 28). São 149 mil pessoas na faixa etária.

"A gente reconhece que pode não ter interpretado a informação de forma correta. Havia uma previsão de chegada de vacinas que não se confirmou, por isso suspendeu 28 anos. Na quarta, o governo faz o anúncio de novos prazos e pode ser que até quinta-feira retome a vacinação", revelou o prefeito.

De acordo com o secretário Edson Aparecido, a falha se deu na Secretaria Municipal de Saúde ao entender que 147 mil pessoas de 28 anos também receberiam a primeira dose ainda nesta semana.

"A cidade está adiantada no calendário, essa é que é a verdade. Estamos na fase final de vacinação de primeira dose. Agora as faixas etárias têm contingentes de pessoas menores. Os grandes contingentes eram entre 30 e 40 anos", detalhou o secretário.

A administração garantiu também que não vão faltar vacinas para aplicação da segunda dose porque o número está vinculado ao fabricante já aplicado na primeira dose.

Vacinação de grávidas

As 652 gestantes e puérperas da capital paulista, que receberam a primeira dose da AstraZeneca, já podem receber o imunizante da Pfizer para completar o esquema vacinal.

A vacinação dessas mulheres vai ocorrer em domicílio. O prefeito acompanhou nesta segunda-feira (26) na Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte, a imunização da auxiliar de enfermagem Michele Maia de Oliveira Silva, que está com 29 semanas de gestação. Ela tem hipertensão e hipotireoidismo.

"Tô feliz em tomar a vacina hoje. A AstraZeneca só podia tomar a segunda dose depois que a bebê parasse de mamar. Eu estava ansiosa e preocupada, principalmente na hora do parto, porque hospital é mais fácil de contrair a doença", ressaltou a gestante.

Uma lista de gestantes e puérperas foi encaminhada para as UBSs. Nela constam o nome, data da primeira dose, imunizante recebido e data prevista para a segunda dose. As UBSs, segundo a prefeitura, vão ficar responsáveis por contatar as mulheres e agendar a vacinação em casa.

Últimas