Prefeitura de SP faz pesquisa com alunos de 4 a 14 anos sobre covid-19

Inquérito sorológico está na terceira fase. Profissionais da Saúde são identificados com crachá, colete e avental e coletam sangue dos sorteados

Prefeitura de SP faz pesquisa com alunos de 4 a 14 anos sobre a covid-19

Prefeitura de SP faz pesquisa com alunos de 4 a 14 anos sobre a covid-19

Reprodução Fotos Públicas

A Prefeitura de São Paulo chegou à terceira fase do inquérito sorológico com crianças e adolescentes de 4 a 14 anos. A pesquisa sobre a covid-19 teve início em 5 de agosto para esta faixa etária. Ao todo, serão quatro etapas e 24 mil alunos envolvidos.

As equipes da Secretaria Municipal da Saúde estão nas ruas. A escolha das residências foi feita por sorteio e levou em consideração as bases do IPTU 2020, hidrômetros da Sabesp e cadastro no programa de Estratégia Saúde da Família.

Os profissionais de saúde são identificados com crachá, colete e avental. O morador recebe uma carta oficial de apresentação com nome e telefone da UBS (Unidade Básica de Saúde) de referência caso queira confirmar a veracidade da pesquisa.

Leia mais: Estudo revela 1,3 mi de imunizados em SP e Covas aponta estabilidade

O morador sorteado recebe orientações do profissional sobre o estudo para identificar a circulação do novo coronavírus na capital, assina o termo de adesão à pesquisa e só então tem a amostra de sangue coletada.

Por se tratar de uma pesquisa que necessita de testagem domiciliar, a Secretaria informa a preocupação com a segurança dos cidadãos e esclarece que os sorteados poderão ser contatados por telefone pela UBS para serem orientados sobre a metodologia e a importância da pesquisa.  

Veja também: "O vírus escancarou a distorção social que temos em SP", diz Covas

A amostra de sangue é encaminhada para análise em laboratório vinculado à Secretaria Municipal da Saúde. Após o processamento, o resultado do exame será informado ao participante do estudo pela UBS de referência.

Terceira fase

Iniciada na terça-feira (1º), a terceira fase da pesquisa está sendo feita com 6 mil alunos da rede pública municipal, estadual e privada de ensino. 

O resultado da Fase 2, realizado com alunos da rede municipal de ensino e divulgado em 27 de agosto, mostrou uma prevalência de infecção por SARS-CoV-2 em 18,3% dessa população, com 69,5% de proporção de crianças assintomáticas.

Leia ainda: Governo de SP adia a volta das aulas presenciais para 7 de outubro

A Secretaria Municipal da Saúde também desenvolve um estudo analítico da pandemia pelo novo coronavírus na capital. A avaliação terá oito fases, realizadas a cada 15 dias, e o objetivo é identificar o grau de contágio da população e conhecer a real letalidade da covid-19. Os trabalhos começaram em 10 de junho e estão na quinta fase.