Novo Coronavírus

São Paulo Prefeitura de SP interdita 500 comércios abertos na quarentena

Prefeitura de SP interdita 500 comércios abertos na quarentena

Estabelecimentos que descumprem as medidas de isolamento social estão sujeitos à interdição imediata e eventual cassação do alvará de funcionamento

Comércios só serão reabertos somente após o término da quarentena

Comércios só serão reabertos somente após o término da quarentena

Nelson Antoine - 20.mar.2020/Estadão Conteúdo

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras, interditou 500 estabelecimentos não essenciais por descumprirem o decreto de municipal 59.298, de 23 de março, que prevê o não atendimento presencial como medida para a diminuição no número de casos da covid-19 no Estado de São Paulo. Os comércios que não tiverem suas licenças cassadas serão reabertos somente após o término da quarentena.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

A região da Sé lidera no número de interdições com 149 estabelecimentos fechados, seguida por Freguesia do Ó e Brasilândia (41), Aricanduva, Vila Formosa, Carrão (39), Mooca (34), Lapa (27), Cidade Ademar, Guaianases (26), Vila Prudente, Santo Amaro (25). 

Na sequência, as regiões de São Miguel Paulista (16), Sapopemba (15), Perus, Anhanguera (13), Itaquera (12), Casa Verde, Cachoeirinha, M´boi Mirim (9), Pirituba, Jaraguá (6), Penha, São Mateus (5), Santana, Tucuruvi, Jaçanã, Tremembé, Itaim Paulista (3), Ermelino Matarazzo, Campo Limpo, Ipiranga (2) e Vila Maria, Vila Guilherme, Cidade Tiradentes, Parelheiros (1).

Leia também: Doria admite medidas duras se não houver 'comportamento adequado'

O estabelecimentos que descumprem as medidas de isolamento social estão sujeitos à interdição imediata e eventual cassação do alvará de funcionamento ou autorização temporária.

Últimas