Prefeitura de SP proíbe alimentos embutidos na merenda escolar

Salsichas, linguiças e mortadelas estão proibidas nas escolas de SP

Embutidos serão banidos em escolas de SP
Embutidos serão banidos em escolas de SP Mariuszjbie (CC)

A prefeitura de São Paulo decidiu proibir a distribuição de alimentos embutidos, como salsichas, linguiças e mortadela, em todas as escolas da rede municipal de educação.

O prefeito João Doria sancionou nesta quinta-feira (4) o projeto de lei do vereador Gilberto Natalini. O texto do decreto determina que fica "vedada a oferta de produtos de origem animal do tipo embutidos no cardápio da merenda de escolas e creches da rede pública municipal".

Segundo Natalini, que também é médico, os efeitos do consumo excessivo de embutidos podem causar obesidade, diminuir a expectativa de vida, aumentar a incidência de doenças coronárias e diabetes.

"Entende-se como embutidos os alimentos produzidos pelo enchimento de tripas de animais ou artificiais (feitas com colágeno) com recheio à base de carne, vísceras, gordura, sangue, especiarias e outros ingredientes como conservantes, aromatizantes, etc. Entre os produtos mais comercializados estão salsichas, linguiças, salames, mortadelas e chouriços, podendo ser defumados ou não", define a lei.

Para a nutricionista e conselheira do 3º Conselho Regional de Nutrição de São Paulo, Vivian Zollar, a decisão é benéfica e vai em encontro com recomendações de entidades como a Sociedade Brasileira de Pediatria.

"Embutidos industrializados geralmente tem baixo valor nutricional, com pouca concentração de nutrientes fundamentais principalmente para crianças, e por outro lado são alimentos com conservantes e alta concentração de gorduras que devemos ter cuidado no consumo e um elevado teor de sódio", explica Zollar.

Mas a nutricionista ressalta que não são todos os embutidos que são prejudiciais, "o problema de forma geral são os embutidos que contém quantidades elevadas de conservantes, sódio e gordura saturada, aqueles que mais facilmente são encontrados nos supermercados, e por isso é sempre importante avaliar o rótulo".

A decisão da prefeitura também prevê uma ampla campanha entre professores, estudantes e funcionários da rede municipal de educação para alertar para os males de tais alimentos embutidos, de modo a dissuadir o consumo também em casa.

Para Vivian, este é o ponto mais importante da lei. "A conscientização é fundamental para uma mudança de hábito alimentar também das famílias destas crianças, pois normalmente os embutidos são bem aceitos por elas".

A lei entra em vigor dentro de 60 dias e deve ser regulada pela Coordenadoria de Alimentação Escolar, subordinada a Secretaria Municipal de Educação.