São Paulo Prefeitura de SP quer vender km rodado para liberar aplicativos como Uber

Prefeitura de SP quer vender km rodado para liberar aplicativos como Uber

Decreto foi anunciado nesta manhã e vai passar por consulta pública nos próximos 30 dias

Prefeitura de SP quer vender km rodado para liberar aplicativos como Uber

Contra o decreto, taxistas fecharam o Viaduto do Chá nesta manhã

Contra o decreto, taxistas fecharam o Viaduto do Chá nesta manhã

Dario Oliveira/Código19/Estadão Conteúdo

A Prefeitura de São Paulo quer vender créditos equivalentes a quilômetros para as operadoras de transporte individual intermediadas por aplicativos como Uber. O decreto, que está aberto para consulta pública a partir desta terça-feira (29), prevê a regulamentação do serviço por meio do cadastro dessas empresas, que serão chamadas OTCs (Operadoras de Transporte Credenciadas).

Os créditos serão vendidos pela prefeitura, terão validade de dois meses e os preços serão modificados a cada 30 dias, conforme as expectativas das políticas públicas municipais de mobilidade urbana.

Rodrigo Pirajá, presidente da SP Negócios, empresa de fomento de projetos e parcerias da administração municipal, afirmou em coletiva de imprensa na manhã de hoje que é justamente o preço dos créditos que irá equilibrar a quantidade de veículos dessas operadoras nas ruas.

— Os valores serão alterados por colegiado da Siurb (Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras), por isso não há um limite pré-estabelecido de veículos. Além disso, haverá estímulos financeiros para que esses carros rodem em horários alternativos aos de pico, atendam áreas fora do centro expandido, como a periferia, tenham adaptação para pessoas com deficiência, e estimulem o uso coletivo do transporte.

Taxistas fazem protesto contra regulamentação do Uber por decreto em SP

As empresas que quiserem oferecer esse serviço terão que seguir regras, como cadastrar os veículos dos motoristas, controlar e prestar contas do consumo dos créditos. Outra novidade é que, com a regulamentação do serviço, os motoristas terão que fazer um cadastro, que ainda terá o formato definido pela prefeitura. Os aplicativos de carona solidária também foram comtemplados, porém sem nenhum tipo de custo acertado pela prefeitura. 

O decreto, que foi intitulado Decreto de Regulação da Exploração Econômica do Uso Intensivo do Viário Urbano, poderá receber sugestões e aprimoramentos da população durante 30 dias. Para particpar clique aqui.

Conheça o R7 Play e assista a todos os programas da Record na íntegra!