São Paulo Prefeitura deve contratar vagas de creche na rede privada em SP

Prefeitura deve contratar vagas de creche na rede privada em SP

Escolas particulares poderiam receber até mil reais da Prefeitura de São Paulo por uma vaga de berçário. Aulas devem ser retomadas em 20 de julho

  • São Paulo | Daniela Salerno, da Record TV

Previsão é de que as aulas nas creches e pré-escolas retomem em 20 de julho

Previsão é de que as aulas nas creches e pré-escolas retomem em 20 de julho

Divulgação/Prefeitura de São Paulo

A Prefeitura de São Paulo deve contratar vagas de creche da rede particular na cidade para aliviar a demanda de vagas do sistema público, que cresceu com o cancelamento de matrículas do sistema privado em decorrência da pandemia da covid-19.

O R7 apurou que cerca de 30% das mais de 101 mil matrículas de crianças de até cinco anos de idade na rede particular da cidade de São Paulo foram canceladas nos últimos dois meses.

A compra de vagas de creche já está prevista em um projeto aprovado em dezembro do ano passado na Câmara dos Vereadores, em caso de ausência de vagas na rede pública, a Secretaria de Educação pode pagar até R$ 850 para alunos de pré escola e até R$ 1.150 para vagas em berçário.


A medida é vista como positiva pelo setor, já que em função da pandemia muitas escolas estão em situação financeira delicada.

A contratação seria feita em escolas previamente cadastradas mais próximas da residência da criança. O R7 apurou ainda que vinte e nove escolas particulares da capital já sinalizaram interesse em negociar vagas.


Além disso, a prefeitura já abriu um site para que pais de crianças  que necessitem de vagas possam entrar numa fila de espera.

No total a cidade possuí 560 mil vagas para creches e pré-escola, sendo que as de creche estão todas ocupadas, mas ainda restam algumas vagas na pré-escola.

Volta às aulas

Além disto, a secretaria de Educação já prevê que as aulas presenciais, principalmente nas creches e ensino infantil, sejam retomadas a partir de 20 de julho, se a cidade já estiver na fase verde de classificação do governo estadual.

O anúncio será feito logo após as diretrizes do Governo de São Paulo anunciar suas medidas na educação, o que deve acontecer na próxima quarta-feira (20).

Para a volta as aulas, a Prefeitura de São Paulo já se prepara para comprar, nos próximos dias, materiais de higiene para ser distribuídos para professores, funcionários e alunos.

Está previsto que os alunos de ensino infantil devem receber um kit com máscara, sabonete e um copo para uso individual.


Os planos são abrir primeiramente as unidades de creche e ensino infantil, e escalar um retorno gradual apra as demais séries até a primeira semana de setembro.

A Prefeitura também planeja fazer a contratação temporária de professores para a rede, já que cerca de quatro mil profissionais que estão no chamado grupo de risco , estão afastados de suas funções.

Últimas